A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

21/07/2012 09:34

Rede hoteleira cresce, mas Campo Grande ainda enfrenta falta de leitos

Nicholas Vasconcelos
Na Afonso Pena, prédio que está parado há anos agora tem promessa de virar hotel. (Foto: Campo Grande)Na Afonso Pena, prédio que está parado há anos agora tem promessa de virar hotel. (Foto: Campo Grande)

Apesar do crescimento do turismo e do aumento do número de eventos, Campo Grande ainda sofre com a falta de hotéis, a ponto de não suportar mais de um grande evento no mesmo período. A afirmação é do presidente da ABIH/MS (Associação Brasileira da Indústria de Hoteis), Leonardo Lorenzzetti.

A Capital tem hoje 5.280 leitos em hotéis, motéis, apart hotéis, pensões e albergues, enquanto são necessárias pelo menos mais 3 mil para atender a demanda.

De acordo com Leonardo, a maior procura é pelos hotéis de médio e grande porte, que oferecem atualmente 3 mil leitos. O presidente garante que não há casos de turistas que ficam sem hospedagem, mas que com o aumento da demanda há aumento de 15% nos preços das diárias. Hoje em Campo Grande é possível diárias de R$80 até R$400, conforme a classificação do hotel e do apartamento procurado.

Para não correr o risco de ficar sem hospedagem ou pagar a mais por isso, a saída e reservar os quartos com pelo menos seis meses de antecedência. Essa saída foi encontrada pela agente de viagens Sayuri Higa, responsável pela reserva de cerca de 400 leitos para os participantes 27° Concurso Brasileiro da Canção Japonesa, que reúne 745 participantes até o domingo (22). “Se não houver organização, sem a previsão acaba pagando mais caro”, afirma.

A presidente da ABAV/MS (Associação Brasileira de Agência de Viagens do Mato Grosso do Sul), Cristina Albuquerque, alerta que o mercado de turismo em Campo Grande começa a mudar, deixando de ser um turismo de passagem em direção às cidades do interior, como Bonito, e passa a ser voltado também para atrações locais. “Nós temos uma procura grande por pontos de turísticos de daqui, como o City Tour, e esperamos esse grande crescimento com a inauguração do Aquário do Pantanal”, explica.

A demanda por vagas em hotéis deve suprida em breve, com a inauguração em breve de dois hotéis e a construção de mais dois. Segundo Leonardo, o primeiro a ficar pronto é o do grupo El Kadri, na avenida Afonso Pena no antigo hotel Binder.

O segundo é o econômico Ibis Budget, nos altos da avenida Mato Grosso. O hotel faz parte da rede francesa Accor, que já opera o Novotel e o Ibis na Capital.

Estão em construção um hotel de luxo da rede Deville, no cruzamento das avenidas Mato Grosso com a Via Parque, e de um hotel ecológico na saída para a Três Lagoas.

“A vinda dessas empresas mostra que o mercado vai se adaptar para atender a demanda e é importante que o setor dos espaços para os eventos também cresça, porque logo é o Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo que vai ficar pequeno”, encerra Leonardo.

Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions