A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Maio de 2018

03/12/2010 19:49

Restrições do BC afetarão financiamentos de veículos

Wellton Máximo, da Agência Brasil

As medidas anunciadas hoje (3) pelo Banco Central para conter o crédito terão impacto maior nos financiamentos de veículos sem entrada e de longo prazo. A partir de 24 meses, o consumidor enfrentará restrições.

Pelas novas regras, a garantia que cada banco terá de manter no capital em determinadas operações de crédito passou de R$ 11 para R$ 16,50 em cada R$ 100 emprestados, o que encarece o empréstimo. No caso dos financiamentos de veículos, a exigência varia conforme o prazo do financiamento e o valor da entrada.

Nos financiamentos de 24 a 36 meses, o consumidor terá de pagar pelo menos 20% da entrada para não cair na restrição. Se a venda tiver prazo de 36 a 48 meses, a entrada mínima será de 30%. De 48 a 60 meses, a proporção aumenta para 60%. Para empréstimos de mais de 60 meses, a restrição será aplicada independentemente da entrada.

A alteração só valerá para os financiamentos concedidos a partir de segunda-feira (6). Para os empréstimos atuais, nada mudará.

As restrições também valerão para o crédito ao consumidor (CDC) acima de 24 meses e para os empréstimos consignados, com desconto em folha, superior a 36 meses. Para o crédito habitacional, rural, às pessoas jurídicas e para financiamento ou arrendamento de veículos de carga, as novas regras não serão aplicadas. Segundo o Banco Central, a contenção de crédito deve afetar apenas o consumo, não o investimento.



NAO CONSIGO ENTENDER O ATUAL GOVERNO, INSENTIVA A COMPRA DE VEICULOS ATE DI MAIS DEPOIS FAZ UM CORTE BRUTO DESSES ESTAMOS PARECENDO MARIONETE DO PT, AGORA SO FALTA VOLTAR O CPMF
E LANCAR MAIS ALGUNS IMPOSTOS. E O POVO CONTINUA VOTANDO NO PT... NAO INTENDO.
 
matheus de andrea em 05/12/2010 02:32:01
continuem votando no PT.......rs
 
eder em 04/12/2010 05:35:45
povo Brasileiro ,prepare-se o bolso e faça conta para enfrentar a fone de imposto ,para o trabalhador a partir de janeiro promete os governos .
 
paulino ormonde portela em 03/12/2010 10:05:01
Curioso isso ser tomado justo na época em que as pessoas mais fazem financiamentos, e mais ainda, logo depois da eleição para presidente da República onde a candidata da situação venceu. Cadê a tal inclusão? Ou será que estão temendo o estouro de alguma bolha de crédito, como ocorreu com as hipotecas norte-americanas?
 
Roberto Acosta em 03/12/2010 08:16:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions