A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 15 de Setembro de 2019

19/08/2019 14:01

Somente 36% dos microempresários de MS contribuem para previdência

No Estado, apenas 73% dos empreendedores com CNPJ contribuem para a previdência

Gabriel Neris
Cliente observa produtos de loja de moda feminina na Capital (Foto: Arquivo)Cliente observa produtos de loja de moda feminina na Capital (Foto: Arquivo)

Entre 364 mil donos de negócios, somente 36% contribuem para a previdência, colocando Mato Grosso do Sul em 9º lugar no ranking nacional. É o que aponta o estudo do Sebrae, elaborado a partir da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Conforme o levantamento, o número de empreendedores que recolhem contribuições é baixo em todo o Brasil. Dos 28,2 milhões de donos dos negócios brasileiros, 37% são segurados da previdência, ou seja, a cada 10 empresários, 4 são contribuintes.

Sandra Amarilha, gerente de Gestão Estratégica do Sebrae, analisa que há um descrédito da previdência para população. A situação econômica do país também é visto como um entrave.

“O brasileiro tem um sendo imediatista, não pensa que vai sofrer acidentes ou que vai precisar da previdência. O desemprego também é um problema, e os profissionais autônomos não conseguem renda extra para pensar no futuro, eles vivem no limite. Colocam a sobrevivência em primeiro lugar”, explica.

O estudo aponta que a formalização está diretamente ligada à contribuição previdenciária. Em Mato Grosso do Sul, apenas 73% dos empreendedores com CNPJ contribuem para a previdência. Já no caso dos sem CNPJ, a proporção cai para 19%. O setor que mais contribui no Estado é o da agropecuária, representando por 47% dos donos de negócios.

A escolaridade também tem influência direta no resultado. O empreendedor mais estruturado, que formaliza o negócio e aderece à previdência, tem maior grau de escolaridade, enquanto os menos estruturados, informais, sem sócios e empregados, com menor proporção de contribuintes, são aqueles com menor grau de escolaridade.

O estudo analisou dados do primeiro trimestre do ano e foi realizado com os chamados “donos de negócios”, termo que reúne empregadores que exploram o próprio empreendimento com ao menos um funcionário, como os MEI (Microempreendedores Individuais) e os por conta própria, que atuam sozinhos ou com um sócio, mas sem empregados. Neste caso, podem ser empreendedores formalizados, como as ME (Microempresas) ou informais.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions