ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 26º

Economia

STF define que saldo do FGTS deve ser corrigido com base na inflação

Resultado atende à proposta da AGU após reuniões com centrais sindicais

Por Gustavo Bonotto | 12/06/2024 20:46
Trabalhador consulta saldo em conta do FGTS no aparelho celular. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Trabalhador consulta saldo em conta do FGTS no aparelho celular. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu, no fim da tarde desta quarta-feira (12), que a revisão do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) deve ser feita pela inflação nacional, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). O resultado atende a proposta apresentada pela AGU (Advocacia-Geral da União) após negociação com centrais sindicais.

Flávio Dino foi o responsável por votar de acordo com a proposta do governo. Ele foi seguido por Cármen Lúcia e Luiz Fux. Já os ministros Cristiano Zanin, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli e Gilmar Mendes votaram contra a mudança no cálculo, mas decidiram que, se a maioria entendesse pela mudança, ela deveria ser feita de acordo com a proposta do governo.

Outros quatro ministros, Luís Roberto Barroso, André Mendonça, Kassio Nunes Marques e Edson Fachin, queriam a correção do Fundo de Garantia pela poupança, hoje em 3% ao ano, mais a porcentagem referente a TR (Taxa de Referência).

A decisão ainda precisa ser publicada pelo Supremo e pode ser adiada com embargos de declaração - pedido para esclarecer algum ponto do julgamento -, o que pode levar a uma nova análise pela corte.

Até a publicação do acórdão, o que pode ocorrer nesta quinta, o reajuste permanece com a regra atual, que é atualizada diariamente e estava em 1,25% no acumulado de 12 meses nesta quarta.

Receba as principais notícias do Estado no WhatsApp. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nas redes sociais: Facebook, Instagram e TikTok

Nos siga no Google Notícias