ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 23º

Enquetes

Diante de alguém pedindo dinheiro, 66% dizem que ficam "incomodados"

Enquete perguntou qual a reação das pessoas, quando veem pessoas pedindo dinheiro em semáforos

Por Guilherme Correia | 22/09/2021 07:27
Venezuelano segura cartaz em que pede trabalho, comida ou dinheiro para ele e os filhos (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)
Venezuelano segura cartaz em que pede trabalho, comida ou dinheiro para ele e os filhos (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

Maioria dos leitores que responderam última enquete do Campo Grande News, 66%, dizem ficar incomodados em relação a pessoas pedindo dinheiro nos semáforos. Outros 19% relatam que dão dinheiro, enquanto 16% afirmam que ficam indiferentes.

Segundo a prefeitura de Campo Grande, mais de 3,2 mil pessoas em situação de rua foram atendidas nos últimos dois anos. Desses, o executivo diz que maior parte são imigrantes da Venezuela.

Ainda que a SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social) afirme que a maioria "foge" de equipes que oferecem emprego, a própria pasta ressalta que apenas cerca de 32% são encaminhados a postos de trabalho, enquanto 28% retornam a seus países.

A campanha feita pelo executivo municipal, inclusive, é de incentivar a população a não dar esmola para tais pessoas. No entanto, não foram informadas novas políticas públicas a respeito da inserção desses grupos, bem como se as atuais ações têm sido eficientes.

O que os leitores pensam - Nos comentários do jornal, a leitora Hellen Melo diz que se doasse em cada semáforo em que encontrasse alguém pedindo, "trabalharia só para isso". "Tem muita gente pedindo e vendendo também. E aí ficam bravos quando não doamos ou compramos", conta.

Já o leitor Luciano Lopes critica outros comentários feitos nas redes sociais. Para ele, é difícil opinar quando não estamos em uma situação parecida, de imigração, fome ou outra questão. "Quero ver os machões aqui que estiverem numa situação dessa, de fugir para outro país. Todo esse povo comentando aqui se diz cristão. Eu ajudo, levo brinquedo para as crianças, tem que ajudar pois somos todos irmãos nesse plano".

A Luciana Nantes levanta questionamento: "não consigo nem descrever o absurdo que é isso, vocês realmente acham que eles gostam de viver assim? A situação é muito mais complicada e ler os comentários xenofóbicos aqui é de doer, viu!".

Por fim, outra leitora relata que não dá dinheiro, mas "se quiser que eu compre uma marmita ou leite para as crianças, ok. Porém, dinheiro jamais".

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário