ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 31º

Enquetes

Maioria acha que Capital continuará com bandeira cinza para o governo de MS

Enquete perguntou qual opinião dos leitores em relação a próxima classificação do programa estadual

Por Guilherme Correia | 23/06/2021 07:53
Homem carrega sacola de compras no Centro de Campo Grande (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Homem carrega sacola de compras no Centro de Campo Grande (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)

Maioria dos leitores acha que Campo Grande terá bandeira cinza na próxima classificação do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia), que define algumas das medidas restritivas a serem tomadas contra a pandemia da covid-19, e que deverá ser publicada na manhã desta quarta-feira (23).

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Governo do Estado e prefeitura de Campo Grande têm tido uma série de divergências quanto ao funcionamento de determinadas atividades econômicas nas últimas duas semanas, por conta do agravamento de casos de coronavírus, se baseando em diferentes estatísticas e critérios.

Diariamente, a Capital trabalha com pouco menos de 100 pacientes esperando abertura de leitos de terapia intensiva, já que a taxa de ocupação tem sido superior a 100% há alguns dias. Esse e outros fatores fizeram com que o Prosseguir classificassem o município e outros 42 na bandeira cinza, que recomenda adoção de mais medidas restritivas.

Apesar disso, a cidade conseguiu modificar essa classificação, reduzindo para bandeira vermelha, por meio de decreto municipal.

Mais recentemente, o prefeito, Marcos Trad (PSD), defendeu que maior parte dos internados em hospitais da Capital são do interior de MS, enquanto o governo apresentou dados que contrariam essa afirmação.

A leitora Katia Barbosa comenta que acha uma "vergonha" haver disputa entre prefeitura e Estado. "Em vez de se unir para vacinar logo o povo e combater o vírus, fica mostrando quem manda mas e quem faz mais".

Já a leitora Jeniffer Barboza pede para a própria população que obedeça regras de distanciamento social, higiene e uso de máscaras adequadas, independentemente da classificação. "De nada adianta a cor da bandeira se não houver consciência das pessoas. Postos lotados, pessoas entubadas, óbitos diariamente. Isso se tornou uma realidade. Tanto faz a bandeira, o que falta é a conscientização, não existe respeito nem empatia", finaliza.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário