ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 28º

Enquetes

Mais de um terço dos leitores conhece quem se separou na pandemia

Divórcios consensuais durante junho, em Mato Grosso do Sul, aumentaram 36% em relação ao mesmo período de 2019

Por Aletheya Alves | 15/09/2020 07:21
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Com número de divórcios consensuais tendo aumentado durante a pandemia, mais de i, terço dos leitores do Campo Grande News disseram conhecer casais que se separaram durante o período de isolamento social.

A enquete do dia mostrou que 37% conhecem algum casal que se desfez neste período de pandemia de covid-19. A resposta foi negativa para outros 63%.

Algumas medidas alteraram o processo de divórcio neste ano com a possibilidade de realizar atos à distância pelos cartórios de notas de todo país. Assim, caso a separação seja consensual e não envolva menores, o divórcio pode ser resolvido online.

Apenas 37% dos leitores conhecem algum casal que se separou na pandemia. (Arte: Ricardo Gael)
Apenas 37% dos leitores conhecem algum casal que se separou na pandemia. (Arte: Ricardo Gael)

Em relação a junho de 2019, Mato Grosso do Sul registrou aumento de 36,1% nos divórcios consensuais, conforme divulgado pelo site Agência Brasil.

Questionados nesta segunda-feira (14), apenas 37% votaram que conhecem alguém que se separou durante a pandemia. Mecânico, Rafael Rodrigues, de 23 anos, acredita que os relacionamentos ficaram mais difíceis nos últimos meses, tanto pelo isolamento quanto pela tensão.

Do lado oposto, Katiane Medina Rocha, de 36 anos, diz que o casamento ficou ainda mais firme em 2020.

“Acho que a gente tem precisado cada vez mais de companheirismo, se não tiver isso não tem como sobreviver mesmo”, explicou.

Ilustrando o pensamento de Katiane, Geiziane Osório, de 27 anos, conta que o casamento passou por fortes emoções nos últimos meses. “Essa pandemia fez diferença sim, aumentou o amor. Meu marido teve coronavírus e ficou muito mal, só não precisou ser entubado, mas ficou internado”.

Ela explica que os dez anos de união mudaram de rumo e, agora, não consegue nem pensar em entrar dentro das estatísticas de aumento sobre separação.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário