ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 23º

Enquetes

O jogo do bicho tem de ser "lacrado" em Campo Grande?

Há quem defenda a legalização e quem entenda que a loteria ilegal financia outros crimes. O que você acha? Participe da enquete!

Por Anahi Zurutuza | 25/09/2020 07:48
Uma das bancas de jogo do bicho lacradas em Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami)
Uma das bancas de jogo do bicho lacradas em Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami)

Desde quarta-feira (23), força-tarefa comandada pelo Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) em conjunto com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) está na ruas de Campo Grande para lacrar as banquinhas do jogo do bicho. A Operação Black Cat, quarta fase da Omertà, já fechou pelo menos 100 pontos de apostas na Capital.

Pelas ruas, há quem defenda o jogo do bicho, por ser tradição. Na chuva de comentários feitos nas matérias sobre a força-tarefa no Facebook do Campo Grande News, teve leitor a favor da legalização e quem concordasse com o fechamento da loteria ilegal.

O bicho, segundo o Gaeco, organizações criminosas perigosas e violentas. Para os investigadores, o foco principal da ação é juntar provas para evidenciar a ligação entre a exploração do jogo e a organização criminosa alvo das primeiras fases da Operação Omertà. O empresário Jamil Name, preso há um ano, é apontado como chefe tanto da exploração do bicho quanto de milícia armada dedicada a eliminar inimigos por meio de execuções.

E você? O que acha? O jogo do bicho tem de ser "lacrado" mesmo em Campo Grande?

A nova enquete já está no ar. Participe!

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário