A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Setembro de 2018

03/08/2018 16:00

Bagunça exclui time de futebol americano de MS da Liga Nacional

Operário Gravediggers está fora de torneio por série de erros cometidos na organização de partidas. Clube não poderá competições por 2 anos

Gabriel Neris
Jogadores do Operário Gravediggers após a partida pela Liga Nacional (Foto: Divulgação)Jogadores do Operário Gravediggers após a partida pela Liga Nacional (Foto: Divulgação)

O Operário Gravediggers de Campo Grande foi excluída da Liga Nacional de futebol americano por uma série de erros cometidos em relação a organização de jogos.

De acordo com ofício da Liga Nacional da modalidade, assinada pelo diretor-executivo Gilberto Vitoriano da Silva, o clube foi comunicado do desligamento diante de “problemas na organização da partida” contra o Rondonópolis Hawks, que seria no próximo domingo e ainda não tinha um local definido.

“De acordo com o artigo 67º do regulamento, o prazo para informação do local da partida é de 14 dias, garantindo que as equipes possam planejar uma boa logística”, aponta o documento. A Liga aponta ainda que “tem demonstrado bastante tolerância”.

A organizadora da competição aponta ainda caso de omissão e descaso dos gestores do time campo-grandense. Critica ainda a qualidade do campo do Centro Olímpico da Vila Nasser, onde o Gravediggers enfrentou o Goiânia Saints em julho.

A Liga reclama da cal utilizada para marcação e relatou ter encontrado cacos de vidro do lado de fora do campo. “Esse tipo de 'padrão' foge às normas do regulamento […]. Dado isso, foi aplicado o W.O administrativo”, diz o documento. O time campo-grandense havia vencido dentro de campo por 46 a 0.

Além da exclusão, o clube foi multado em R$ 3 mil e não poderá disputar qualquer competição nacional nos próximos dois anos.

A reportagem conversou com Samir Amizo, jogador mais veterano do time. Ele diz que acata as decisões tomadas pela Liga Nacional, mas reclama da dificuldade em conseguir encontrar local com antecedência para a realização da partida.

“Erramos em pequenas coisas, como problemas de inscrições, não tínhamos de onde tirar direinho a não ser do bolso dos jogadores, não conseguimos patrocínio. Não havia chuveiro no vestiário. Infelizmente não conseguimos cumprir com algumas coisas de regulamento”, lamenta.

O Gravediggers entraria em campo contra o time mato-grossense no próximo domingo. Todos os jogos da equipe foram consideradas 49 a 0 para os adversários. “Não conseguimos nos organizar como diretoria, tomamos decisões erradas”, completou.

Segundo Amizo, a dificuldade acabou se refletindo também no Campeonato Estadual. A final do torneio estava marcada para o domingo passado contra o Campo Grande Predadores, porém não foi realizada por falta de jogadores. Não há previsão para uma nova data.

O Campo Grande Predadores representa Mato Grosso do Sul em outra competição, o BFA (Brasil Futebol Americano). O time da Capital enfrenta o Sorriso Hornets (MT) fora de casa no sábado.

Na prática este será o primeiro jogo do Predadores na competição. O time venceu por W.O o Goiânia Rednecks no dia 21 de julho. O próximo compromisso em casa será contra o Cuiabá Arsenal no dia 18 de agosto.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions