A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

23/07/2013 11:14

Boxe feminino têm adeptas, mas sofre carência por atletas profissionais

Helton Verão
Academias em MS estão cheias de mulheres afim de manter a forma, mas quando o assunto é se profissionalizar, elas não querem (Foto: Cléber Gellio)Academias em MS estão cheias de mulheres afim de manter a forma, mas quando o assunto é se profissionalizar, elas não querem (Foto: Cléber Gellio)

Começou nesta segunda-feira (22) na Capital, o 11º Campeonato Brasileiro de Boxe Feminino, modalidade que em Mato Grosso do Sul possui um curioso detalhe/problema: tem muitas adeptas pelas academias, mas profissionalmente poucas mulheres se dispõem a lutar.

Neste brasileiro a equipe de Mato Grosso do Sul conta com quatro atletas, treinadas por Ed Reis e Luizinho Cardoso, que revelam a dificuldade de encontrar atletas para competir profissionalmente. “Temos pelo menos 200 alunas na academia, mas que querem apenas manter a forma, quando falamos em lutar profissionalmente elas não aceitam”, revela Reis.

Aline é a 2ª no ranking nacional na categoira até 69kg (Foto: Cléber Gellio)Aline é a 2ª no ranking nacional na categoira até 69kg (Foto: Cléber Gellio)

A principal atleta do Estado é a Aline Santana, 23 anos, ela disse que sempre desejou lutar boxe e que sua mãe sempre a proibiu. “Avisei ela que, quando completasse 18 anos, ia me tornar lutadora e desde os 19 tenho lutado”, conta a atleta.

Sobre um perfil ou dom para ser atleta de boxe, Aline não crê que exista para a modalidade. “Sempre fui um pouco nervosa, encontrei no boxe uma forma de desestressar e porque gosto mesmo. Mas não acho que todas lutadoras tem esse perfil”, compara a atleta.

Aline mora em São Paulo há 9 meses nas instalações da seleção brasileira, onde treina e é remunerada. “Em Campo Grande seria impossível viver do boxe”, afirma Aline que estreia na competição na sexta-feira.

As mulheres sul-mato-grossenses terão pela frente adversárias dos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e da Bahia.

Sobre os resultados, os treinadores não esperam outros resultados de suas comandadas. “Esperamos pelos primeiro lugares, gostamos das chaves que elas caíram, são boas perspectivas”, avalia o técnico Ed Reis.

Aline faz parte da seleção brasileira e ocupa a 2ª colocação no ranking nacional atualmente na categoria até 69 kg. As outras lutadoras que subirão ao ringue a partir de sexta-feira (26) são Emília Reis (até 81 kg), Alvanice Valéria (até 69kg) e Jéssica Gabriela (até 81kg).

“A Aline e a Emília são favoritas em suas categorias, estão com a responsabilidade de vencer, mas nada impede as demais boxeadoras do Estado correrem por fora e alcançar os primeiros lugares também”, analisa o técnico Ed Reis.

O presidente da CBB (Confederação Brasileira de Boxe), Mauro Silva, acompanha de perto as preliminares que começaram hoje e não se arrepende de escolhido Campo Grande para sediar a competição nacional. “Não ligo a mínima se a cidade está ou não está num grande centro, a competição iria acontecer da mesma forma e quase sem nenhuma diferença de gastos em outra cidade ou Estado”, ressalta Mauro, calculando uma média de R$ 250 mil para realizar a competição. O valor é custeado metade pela CBB e metade pelo Governo do Estado.

“Antes o boxe estava no buraco, atletas viviam empilhados em alojamentos e dirigentes ficavam em hotel. Ou seja estava tudo errado, eles são as figuras principais da competição, hoje esse quadro mudou”, exalta o presidente.

De acordo com Mauro Silva 200 atletas de 23 estados irão lutar em Campo Grande. Ao mesmo tempo está sendo disputado o 5º Campeonato Brasileiro Juvenil masculino, onde oito atletas do Estado entrarão em ação.

Primeiro dia - Dezoito lutas marcaram o primeiro dia do 5º Campeonato Brasileiro Juvenil masculino e 11º Adulto feminino. Dos 38 atletas que subiram ao ringue nesta segunda-feira, apenas um sul-mato-grossense: Paulo Martins, categoria 60kg. Ele venceu o atleta Matheus Correa do Distrito Federal e segue na competição em busca de medalha.

De acordo com o presidente da Federação de Boxe de Mato Grosso do Sul, Marcelo Nunes o boxe sul-mato-grossense vem se destacando. “A modalidade cresceu tanto aqui no estado que nos últimos anos vários atletas nossos foram para a Seleção Brasileira, como a pugilista Aline Santana, destaque na modalidade que pode ser nossa representante nas olimpíadas do Rio de Janeiro,” revelou Nunes.

Nesta terça serão realizadas 25 lutas a partir das 15h no Ginásio Guanandizão. A competição segue até sábado, quando acontecem as finais nas 10 categorias em disputa.

A competição é uma realização da Confederação Brasileira de Boxe, em conjunto com a Federação de Boxe do Mato-Grosso do Sul e conta com apoio da Fundesporte.

Na sexta-feira (26) os atletas melhores ranqueados entram em ação.

A entrada são dois quilos de alimentos não perecíveis.



Parabéns Aline que Deus continue lhe abençoando e protegendo-a... é muito legal vê-la realizada, e vencedora naquilo que escolheu!!!! Boa sortee
 
Pâmella Andrade em 24/07/2013 13:01:58
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions