A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

08/06/2013 12:21

Campo Grande sedia campeonato para deficientes visuais e incentiva o Goalbal

Mariana Lopes
Campeonato de goalball começou hoje em Campo grande (Foto: Paulo Francis)Campeonato de goalball começou hoje em Campo grande (Foto: Paulo Francis)

Ouvidos atentos ao barulho da bola que rola na quadra. Começou neste sábado (8), a etapa regional do Campeonato de Goalball, no ginásio do colégio Mace, em Campo Grande.

Das 14 equipes que participam do campeonato, três representam Mato Grosso do Sul. As outras são dos estados das regiões Centro Oeste e Norte. Amanhã, as equipes finalistas disputam classificação para a etapa nacional, que será realizada de 31 de outubro a 3 de novembro deste ano, em São Paulo.

É a primeira vez que a Capital sedia um campeonato brasileiro de goalball, modalidade esportiva para deficientes visuais ou com baixa visão. O esporte, que começou a ser difundido na década de 1980, tem cada vez mais espaço no calendário das federações.

Segundo o presidente da Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais, Sandro Laina, Campo Grande conseguiu apoios que possibilitaram a realização da etapa regional. “A cidade está amadurecendo, já existia a política de esporte para deficientes, mas não tinha estrutura”, destaca.

Justamente pela falta de estrutura, a Confederação precisou trazer os árbitros do campeonato, que no total foram seis.

A etapa regional foi viabilizada pelo Ismac (Instituto Sul Mato Grossense para Cegos Florivaldo Vargas), que luta para disseminação do esporte no Estado. Para presidente do instituto, Telma Nantes de Matos, a atividade esportiva é um estímulo para o deficiente.

“Envolve saúde, ajuda na reabilitação, ajuda a superar os limites, fortalece emocionalmente e ele a autoestima, é muito importante a prática do esporte, e o campeonato ajuda a revelar os talentos que temos”, enfatiza Telma.

O atleta Carlos Henrique da Luz Barbosa, 29 anos, é exemplo disso. Desde 2004 na equipe da Adevims (Associação de Deficientes Visuais de MS), ele diz que no esporte percebeu outros sentidos.

“Ajuda no estímulo de outros sentidos do corpo, sem contar no reflexo e na disciplina que também aumentam, pois quem pratica esporte é muito cobrado por organização”, comenta.

Claudia faz parte da seleção brasileira de goalball (Foto: Paulo Francis)Claudia faz parte da seleção brasileira de goalball (Foto: Paulo Francis)

Aos 36 anos, Claudia Oliveira é outro exemplo de garra. Há 10 anos ela faz parte da seleção brasileira de goalball e afirma que se encontrou na modalidade. Mas o que a deixa realmente feliz é ver o esporte crescendo.

“Tem uma garotada bem nova começando a treinar, o goalball está crescendo no Brasil, e isso é muito bom”, observa Claudia.

Esporte - O Goalball é um esporte praticado por atletas que possuem deficiência visual, cujo objetivo é arremessar uma bola sonora com as mãos no gol do adversário.

Cada time joga com três jogadores e todos os atletas usam vendas nos olhos – para deixar todos em igualdade, já que alguns possuem algum resíduo de visão. Há também três reservas.

A percepção do jogador é pelo tato e audição. A bola possui guizos para que os atletas possam se orientar sobre a direção da bola. Precisa de muita concentração, por isso o silêncio da torcida e da equipe é importante.

Os jogos são disputados em uma quadra com as dimensões da de vôlei, com as balizas – uma de cada lado - do tamanho da sua largura total, 9m, e com 1,3m de altura.

No total, 14 equipes participam da etapa regional, que abrange as regiões Norte e Centro Oeste (Foto: Paulo Francis)No total, 14 equipes participam da etapa regional, que abrange as regiões Norte e Centro Oeste (Foto: Paulo Francis)
De Mato Grosso do Sul, 3 equipes tentam vaga na etapa nacionalDe Mato Grosso do Sul, 3 equipes tentam vaga na etapa nacional


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions