ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 19º

Esportes

Com competidor de 1 ano, prova "vaca parada" movimenta disputas no CLC

Competição deste sábado (15) contou com 30 participantes e é uma das provas do Brasileirão de Laço Comprido

Por Jéssica Fernandes | 15/06/2024 11:29
Crianças participam da prova 'Vaca Parada' no CLC. (Foto: Jéssica Fernandes)
Crianças participam da prova 'Vaca Parada' no CLC. (Foto: Jéssica Fernandes)

Com 30 participantes entre 1 a 12 anos, a prova "vaca parada" movimentou as primeiras horas de competições desde sábado (15) do Brasileirão de Laço Comprido 2024. A modalidade esportiva é considerada a ‘porta de entrada’ para competições tradicionais, como o ‘Brasileirão de Laço Comprido’.

No CLC (Circuito do Laço Comprido), a disputa da modalidade infantil começou por volta das 9h40, mas uma hora antes as crianças já estavam treinando no cavalete em formato de vaca. Enquanto isso, pais e mães realizavam a inscrição.

Pela primeira vez, Aquino Luna, de 4 anos, participa da prova com a torcida da mãe, Glades das Chagas, de 42 anos. Recepcionista, ela fala que o próprio filho pediu para competir. “Ele viu a prova e falou que queria laçar, então vim inscrever porque tem professor. Eu gosto também porque trabalho com leilão, então tá um pouquinho no sangue dele", conta.

Suelen Rocha com os filhos João Henrique e Helena Regina. (Foto: Jéssica Fernandes)
Suelen Rocha com os filhos João Henrique e Helena Regina. (Foto: Jéssica Fernandes)

Organizadora do evento e responsável pela prova, Suelen Rocha, de 34 anos, explica que a intenção dessa modalidade é incentivar as crianças e garantir novos talentos para a continuidade da tradição. Hoje, Suelen estava na organização e na torcida pelos filhos João Henrique, de 8 anos, e Helena Regina, de 3 anos.

“Aqui a gente sempre fala que é o futuro do laço comprido e a prova para as crianças é justamente para estimular. Aqui é a porta de entrada, depois vai para a pista, vai competir, ganhar carro e moto”, afirma.

Além de ser a introdução no esporte, a ‘Vaca Parada’ é uma alternativa para as crianças que ainda estão inseguras de competir na pista. "Às vezes a criança está bem no laço, ela está conseguindo até ensinar o colega, mas não está ainda confiante 100% no cavalo. Então aqui o primeiro treino”, completa a organizadora.

Medalhas disponíveis para a premiação da prova. (Foto: Jéssica Fernandes)
Medalhas disponíveis para a premiação da prova. (Foto: Jéssica Fernandes)
Ana Paula levou o filho João Neto, de 1 ano, para partipar da competição. (Foto: Jéssica Fernandes)
Ana Paula levou o filho João Neto, de 1 ano, para partipar da competição. (Foto: Jéssica Fernandes)

Com premiação para o 1º, 2º e 3º lugar, a competição é realizada em três etapas onde as crianças têm o mesmo número de tentativas para laçar o cavalete. Em cada rodada, os competidores vão somando pontos até a classificação dos três primeiros.  Os competidores masculinos e femininos são divididos em categorias por idade, sendo de 0 a 7 anos e 8 a 12 anos. No CLC, o competidor mais novo desse sábado era João Neto, de 1 ano.

Ana Paula Ramos, de 35 anos relata que levou o filho para participar, pois o marido e o filho de 15 anos já competem em outras modalidades.  “Eu já tenho dois que laçam e ele (João Neto) a gente leva para não ter vergonha. Eu e meu marido gostamos, a gente é de Santa Catarina e viemos para laçar aqui”, conta.

A tradição passada de pais para filhos também ocorre com Janes Bernardino Honório Lyrio, de 53 anos. O médico veterinário e a esposa Lívia estavam acompanhando os filhos Bernardo, de 9 anos, e Benício, de 15 anos, que estão inscritos. O menor era um dos 30 competidores da ‘vaca parada’.

Bernardo, de 9 anos, era um dos 30 inscritos na prova deste sábado (15). (Foto: Jéssica Fernandes)
Bernardo, de 9 anos, era um dos 30 inscritos na prova deste sábado (15). (Foto: Jéssica Fernandes)

A participação dos filhos no esporte, conforme Janes, é algo que ele e a esposa sempre incentivam. “A família toda compete. Nós temos que incentivar porque no futuro o que nós queremos é que eles estejam juntos no dia a dia no campo. O esporte de laço comprido é o nosso dia a dia e isso aí foi do meu avô, pra minha mãe, pro meu pai”, destaca.

2ª etapa do CRT segue neste sábado com o circuito de rodeio em touros e baile com modão a partir das 20h. No domingo (16) ocorre as finais do brasileirão a partir das 5h.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias