ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 25º

Esportes

Com gol de pênalti no final, Coritiba bate time alternativo do Vasco por 1 a 0

O time paranaense quebrou um jejum de quatro jogos sem vitória

Por Estadão Conteúdo | 20/09/2020 18:47
O jogador German Cano do Vasco durante a partida entre Coritiba e Vasco, válida pelo Campeonato Brasileiro da Série A 2020, no estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR), neste domingo (20). (Foto: Estadão Conteúdo)
O jogador German Cano do Vasco durante a partida entre Coritiba e Vasco, válida pelo Campeonato Brasileiro da Série A 2020, no estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR), neste domingo (20). (Foto: Estadão Conteúdo)

Com um gol de pênalti, confirmado somente após a consulta do VAR, o Coritiba ganhou do Vasco por 1 a 0, neste domingo, no estádio Couto Pereira, em Curitiba, pela 11.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com vários reservas, o time carioca jogou preocupado com o clássico diante do Botafogo, nesta quarta-feira, pela quarta fase da Copa do Brasil, e até fez um bom segundo tempo, mas sofreu o gol nos minutos finais.

Mesmo assim, o Vasco continua com 17 pontos entre os primeiros colocados. O time paranaense quebrou um jejum de quatro jogos sem vitória, chegou aos 11 e provisoriamente está fora da zona de rebaixamento em 16.º lugar.

O Coritiba entrou em campo pressionado pela falta de vitórias e por isso mesmo se esperava uma presença ofensiva, principalmente diante de um Vasco bastante modificado. O time carioca também não contou com o técnico Ramon Menezes, que contraiu a covid-19 e permaneceu no Rio de Janeiro junto com alguns jogadores. Na beira do campo estava o auxiliar Thiago Kosloski.

Com muitas baixas, o interino deve ter pedido cautela aos vascaínos no começo do jogo. Mas o Coritiba quase que não incomodou. Só teve uma chance aos 14 minutos, quando Hugo Moura lançou Robson em velocidade e o atacante errou feio na hora do chute, isolando a bola para o alto. O Vasco também teve uma oportunidade, quando Cano roubou a bola de Hugo Moura na saída de bola e rapidamente bateu com a perna direita, exigindo grande defesa do goleiro Wilson aos 29.

O Vasco voltou mais adiantado no segundo tempo, com o time mais compacto e mais agressivo. Aos 11 minutos já teve uma grande chance, quando Bruno César desceu pela esquerda e cruzou na primeira trave. O rápido Cano apareceu e desviou, mas Wilson espalmou para escanteio.

Pouco depois, foi Cano quem iniciou a jogada pelo lado direito. Ele viu Talles Magno na frente da área e o passe saiu perfeito. O jovem atacante bateu com a chapa do pé, de forma consciente, tanto que a bola explodiu na trave esquerda de Wilson. Aos 34 minutos foi a vez de Guilherme Parede finalizar forte e o goleiro do Coritiba defender.

Com o time carioca bem melhor em campo, foi o Coritiba quem abriu o placar nos minutos finais. Aos 40 minutos, após cruzamento que atravessou a área, Yago Pikachu empurrou Robson pelas costas. O árbitro paulista Luiz Flávio Oliveira foi chamado pelo VAR e confirmou o pênalti.

Na primeira cobrança, Sabino cobrou devagar, tentando a cavadinha, mas Fernando Miguel deu um tapa na bola que tocou no travessão. Na volta, o goleiro ainda dividiu com dois atacantes e evitou o gol. Mas o VAR, de novo, interferiu na jogada, observando que o arqueiro vascaíno não estava com nenhum dos pés na linha de gol no momento da cobrança.

Quem bateu a segunda cobrança foi Robson, que chutou forte e ainda deslocou Fernando Miguel para o lado direito. A bola entrou no outro canto. Isso aos 44 minutos. Nos acréscimos ainda houve um lance polêmico na área do Coritiba, em que Rodolfo Filemon pisou no pé de Neto Borges em um possível pênalti. O árbitro, de novo, consultou o VAR, porém desta vez não marcou nada. Em seguida, o jogo terminou.

Pelo Brasileirão, o Coritiba volta a campo contra o Fluminense, no próximo dia 28, segunda-feira, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pela 12.ª rodada. O Vasco vai enfrentar o Red Bull Bragantino no próximo domingo, às 11 horas, no estádio de São Januário, também na capital carioca.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário