A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

01/10/2013 20:54

Com gol no último minuto, Náutico vence a Ponte Preta

Vinícius Squinelo

Ponte Preta e Náutico quebraram o protocolo. Surpreenderam. Últimos colocados na tabela de classificação, as duas equipes fizeram o jogo chamado "lá e cá", cheio de alternativas, com gols e chances de "Inacreditável Futebol Clube" para os dois lados, com vitória do Náutico, de virada, aos 47 minutos do segundo tempo, por 2 a 1, no Moisés Lucarelli, nesta terça-feira.

Empurrada pela torcida e embalada pelos últimos resultados, a Macaca dominou a primeira etapa, criando diversas chances, principalmente pelos pés de Fellipe Bastos, Rildo e William. Exceto pela jogada individual do meia Tiago Real, aos 7 minutos, que exigiu boa defesa de Edson Bastos, a equipe campineira criou ao menos quatro chances claras, todas elas defendidas pelo arqueiro Ricardo Berna, que não resistiu à artilharia pesada. De tanto insistir, a Ponte abriu o placar aos 45 minutos.

Fellipe Bastos tocou na linha de fundo para Uendel que, com a cabeça erguida, cruzou para William. Principal jogador da Macaca no primeiro tempo, o camisa 9 se antecipou à marcação de João Filipe e, com um leve toque, tirou do alcance do goleiro do Timbu.

Atrás no marcador, o Náutico foi obrigado a adotar uma postura mais ofensiva na segunda etapa. Na base da pressão, o Timbu quase chegou ao empate com Oliveira, que aproveitou um passe errado de Baraka, mas chutou a bola por cima do gol.

Atendendo aos pedidos do técnico Jorginho, que reclamava do posicionamento excessivamente defensivo, a Macaca saiu em busca do segundo gol. Rildo teve chance, driblou um marcador, mas chutou por cima. William, sozinho, cabeceou para fora na cobrança de escanteio, aos 13, e chutou fraco aos 33.

Mais exposta, a Ponte deu espaços e o Náutico empatou. Maikon Leite, até então sumido na partida, fez a jogada pela direita e cruzou na área. Hugo, que tinha acabado de entrar, dominou e bateu rápido, sem dar tempo para os zagueiros travarem o chute, aos 33 minutos.

A Ponte, sem interesse no empate, adiantou ainda mais a sua marcação e, no primeiro Inacreditável Futebol Clube da noite, Hugo brilhou. Embaixo das traves, o atacante do Timbu, sem goleiro, chutou por cima do gol.

Mas ele não estava sozinho. Quatro minutos mais tarde, foi a vez de William, sem marcação, sem goleiro, desviar um cruzamento de canela, para fora.

A Ponte Preta pressionava. Foi à frente com todos os jogadores, na base do desespero, com a chance de fazer o segundo gol no lance de bola parada, dos pés de Fellipe Bastos. A bola não foi lançada na área. Elias recebeu na meia-lua, fez o giro e bateu forte, mas Berna fez a defesa. No rebote, Adaílton fez jogada pela esquerda e cruzou rasteiro. A bola atravessou a área praticamente em cima da linha e sobrou nos pés de Dadá, que puxou o contra-ataque.

Com a defesa desarrumada, Maikon Leite fez a jogada e tocou para Hugo, dentro da área. O atacante chutou, mas Edson Bastos fez a defesa. No rebote, Maikon Leite chutou forte, já aos 47 minutos, dando a vitória ao Timbu, que chegou aos 17 pontos. Com a derrota, a Ponte Preta segue com 22.

A Macaca volta a campo na próxima quinta-feira, às 19h30, no estádio Independência, em partida atrasada, da 8ª rodada. O Náutico, ainda na lanterna da competição, recebe o líder Cruzeiro, às 16h, na Arena Pernambuco, domingo.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions