ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  13    CAMPO GRANDE 21º

Esportes

Convocados para expediente saem de casa com “armaduras” de torcedor

Desde ontem, estabelecimentos se preparam para abrir e, no lugar da cerveja, servir café da manhã

Por Danielle Valentim e Miriam Machado | 22/06/2018 07:47
Quem tem de trabalhar dá um "jeitinho", para seguir a rotina normal vestindo o verde e amarelo.(Foto: Saul Schramm)
Quem tem de trabalhar dá um "jeitinho", para seguir a rotina normal vestindo o verde e amarelo.(Foto: Saul Schramm)
De verde e amarelo, trabalhadores esperam pelo transporte em ponto de ônibus da Capital  (Foto: Saul Schramm)
De verde e amarelo, trabalhadores esperam pelo transporte em ponto de ônibus da Capital (Foto: Saul Schramm)

Campo Grande começou o dia com pouca movimentação nas ruas, mas com inúmeros trabalhadores se preparando para revezar o olhar no trabalho e no jogo da seleção. Nesta sexta-feira (22), o Brasil enfrenta o time da Costa Rica e quem foi convocado pelo patrão dá um "jeitinho", para seguir a rotina normal vestindo o verde e amarelo.

O preparador de veículos Roosewele Rosa, de 39 anos, é um deles. Trabalhando em uma garagem de carros, o funcionário disse que o estabelecimento não vai parar e que vestir o verde e amarelo pode dar sorte. O trabalhador arrisca o palpite de 3 x 0 para o Brasil. “Lá não tem TV, mas na loja da frente tem e dá pra acompanhar pelo menos os gols”, disse.

O trabalhador Roosewele disse que vestir o verde e amarelo pode dar sorte. (Foto: Marina Pacheco)
O trabalhador Roosewele disse que vestir o verde e amarelo pode dar sorte. (Foto: Marina Pacheco)
"Aposto que o Brasil ganhará de 3x0”, diz Henrique. (Foto: Marina Pacheco)
"Aposto que o Brasil ganhará de 3x0”, diz Henrique. (Foto: Marina Pacheco)

O operador de telemarketing Henrique Pinheiro, de 21 anos, disse que os atendimentos vão parar no horário do jogo. “Normalmente entro as 8h45, mas hoje começa às 10h. Aposto que o Brasil ganhará de 3x0”, disse.

Duas funcionárias de umas das lojas Casas Bahia, no cargo de menor aprendiz, vestiram a roupa de torcedor e estão animadas. Elas apostam no 1x0, porque era a sugestão do último jogo, quando o Brasil empatou. “Acho que uns 70 funcionários devem acompanhar a partida”, disse uma das jovens.

Mototaxistas não deixam ponto, mas a bandeira do Brasil foi hasteada (Foto: Saul Schramm)
Mototaxistas não deixam ponto, mas a bandeira do Brasil foi hasteada (Foto: Saul Schramm)