A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

14/04/2011 16:05

Espelhado no UFC, Cage Brasil será realizado em maio na Capital

Fabiano Arruda

Evento será realizado no ginásio do Rádio Clube Campo

Presidente da Federação de Luta Livre em MS destaca evento como show de entretenimento. (Foto: Vinícius Rigo)Presidente da Federação de Luta Livre em MS destaca evento como show de entretenimento. (Foto: Vinícius Rigo)

A Federação de Luta Livre de Mato Grosso do Sul realiza no dia 14 de maio, no Rádio Clube Campo, em Campo Grande, o Cage Brasil, evento similar ao UFC.

Na Capital, participam 24 atletas, sendo dez sul-mato-grossenses. Entre as atrações estão uma luta internacional, entre o francês Johnny Frachei e o campo-grandense Michel Igenho, além de duas disputas de cinturão.

Uma delas será entre os sul-mato-grossenses Gilmas Sanches e Diego Souto, além de Joemerson Leite, de Campo Grande, contra Bruno Macaco, em Brasília (DF).

Outra atração é escolha da Cage Girls, feita no perfil do evento pelo site de relacionamentos Facebook. As interessadas têm de se inscrever até o dia 29 por meio do site cagebrasil.com.br. As dez mais votadas irão para uma primeira seletiva e, posteriormente, uma comissão vai deixar a disputa com cinco participantes.

Em seguida, duas vão participar da final, que será realizada no bar Miça, no dia 13 de maio, quando também ocorre a pesagem dos atletas.

Preconceito - Carlos André Marinho, vice-presidente da Cage Brasil, e presidente da Federação de Luta Livre no Estado, destaca o evento como um show de entretenimento e faz questão de rebater o “preconceito” sobre a modalidade.

“Os atletas são preparados e o esporte não é sinônimo de violência. O futebol, por exemplo, é violento no campo e fora dele, onde são registradas mortes nos estádios”, comparou.

Marinho enxerga o Cage Brasil em Campo Grande como uma oportunidade de quebrar o que ele chamou de paradigma. “Podemos romper uma barreira e trabalhar a violência da luta de forma educativa para desmistificar esta questão”, afirma, fazendo questão de ressaltar que as academias de luta adotam punições rigorosas para lutadores que utilizam a luta para se envolver em confusões.

Acompanhado do presidente da Cage Brasil, Fábio Andrade, Carlos destacou, ao Campo Grande News, o crescimento do MMA (misto de diversos estilos de artes marciais), no Brasil e no mundo. Como exemplo, citou a realização do UFC no Rio de Janeiro, par a o dia 27 de agosto, com participação de nomes que fazem sucesso lá fora, como Shogum e Anderson Silva.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions