A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

02/06/2015 17:48

Ex-zagueiro defende mudanças e sonha pelo menos ser candidato na FFMS

Paulo Nonato de Souza
Amarildo mantém esperança de pelo menos concorrer à presidência da FFMS (Foto: Arquivo)Amarildo mantém esperança de pelo menos concorrer à presidência da FFMS (Foto: Arquivo)

O ex-zagueiro Amarildo Carvalho, de 49 anos, revelado nos anos de 1980 pelo Operário de Campo Grande e com passagens pelo Palmeiras, Porto e Leixões, de Portugal, e Celta, da Espanha, disse esta tarde que o futebol sul-mato-grossense precisa de novas ideias e de gestão profissional para voltar a ser forte e respeitado.

Em abril de 2014, quando o atual presidente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul, Francisco Cezário de Oliveira, no cargo desde 1998, foi reconduzido para novo mandato à frente da entidade até 2019, Amarildo Carvalho chegou a encabeçar um movimento de candidatura de oposição.

“Infelizmente nem ao menos consegui registrar minha chapa, porque de última hora o Cezário mudou o estatuto passando a exigir que só seriam aceitas chapas encabeçadas por presidente de clube. Uma exigência absurda. São sou nem nunca fui presidente de clube, fui jogador”, ressaltou.

Segundo Amarildo, o movimento de mudança no futebol mundial, desencadeado pela Justiça norte-americana com a prisão de sete executivos da Fifa, incluindo o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, por suspeita de corrupção, pode ser uma porta aberta para nova realidade no futebol brasileiro, especialmente em Mato Grosso do Sul.

“Não tenho nada contra o Cezário, até gosto dele, mas sou uma pessoa do esporte, sou ligado ao futebol e quero participar. Mantenho a esperança de pelo menos poder concorrer à presidência da Federação e acredito que esse bum todo no futebol mundial respingue por aqui”, declarou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions