A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

16/07/2015 14:56

Ginasta campo-grandense encara desafios pelo sonho olímpico em 2020

Paulo Nonato de Souza
A ginasta campo-grandense Amanda Santos, no centro, compete desde os 8 anos pelo Estado do Paraná, de olho nos Jogos Olímpicos e Mundial de 2020 (Foto: Arquivo da família)A ginasta campo-grandense Amanda Santos, no centro, compete desde os 8 anos pelo Estado do Paraná, de olho nos Jogos Olímpicos e Mundial de 2020 (Foto: Arquivo da família)

Nunca desista do seu sonho, independente do sacrifício que tenha de enfrentar. Esse parece ser o lema da ginasta campo-grandense, Amanda Santos, de 12 anos, que em 2012 trocou a sua cidade natal, junto com a família, por Londrina, no Paraná, para se dedicar mais intensamente ao sonho de disputar uma Olimpíada e um Campeonato Mundial de Ginástica Rítmica.

“Ainda não tenho idade para disputar uma Olimpíada, só a partir dos 15 anos, e pelos meus planos isso será possível em 2020, mas o meu maior sonho é disputar um Mundial. Olimpíada também, mas prefiro o Mundial”, disse Amanda. E ela explica, de forma simples e objetiva, porque prefere o Mundial: “Porque sempre foi o maior sonho, desde criança”.

Aos 4 anos de idade, Amanda entrou para o Projeto Atletas do Futuro, que era mantido com apoio da Caixa Econômica Federal no Horto Florestal, em Campo Grande, sob o comando da professora Maria Justine. Desde então, ela convive com o que há de mais natural na vida de um atleta competitivo: glórias, frustrações, cobranças, treinos intensos e dores, muitas dores.

Raissa Isabelle, a irmã mais velha, conta que aos 6 anos Amanda já treinava três vezes por semana e queria mais. Por isso, começou a praticar também na Escola Nossa Senhora Auxiliadora e acabou convidada para participar da equipe de ballet da tradicional Escola Isadora Duncan, só para ter atividade todos os dias da semana. Com tamanha dedicação e determinação, somada ao seu potencial, a ginasta conquistou o apoio de toda a família para a realização do sonho de conquistar um lugar de destaque na modalidade.

“EM 2012 chegamos a conclusão que deveríamos levá-la a um lugar onde houvesse equipes de alto rendimento e que fosse referência no Brasil. Ficamos sabendo que a UNOPAR (Universidade Norte do Paraná), em Londrina, estava realizando testes com ginastas e o pai (João Carlos) inscreveu a Amanda. Ela fez o teste e no mesmo dia foi aceita”, disse Raissa.

Assim, desde seus 8 anos de idade, Amanda e toda a família foram morar em Londrina, no Paraná. Inicialmente, ela foi aceita para fazer parte da pré-equipe, mas não demorou muito para ser requisitada pela técnica Virginia Nobre para atuar pela equipe pré-infantil. Sem dificuldade para acompanhar o ritmo dos treinamentos, em dois meses deixou a condição de pré e foi integrada à equipe como titular do Conjunto.

Amanda, com o técnica da UNOPAR, Virginia Nobre (Foto: Arquivo da família)Amanda, com o técnica da UNOPAR, Virginia Nobre (Foto: Arquivo da família)

Colecionando títulos - Competindo pelo Paraná, Amanda já coleciona vários títulos. Logo no seu primeiro ano, em 2012, foi campeã paranaense de conjunto nível 1 e vice-campeã brasileira de conjunto nível 1; em 2013, foi bi paranaense de conjunto nível 1, campeã brasileira de conjunto nível 1, campeã da Copa do Brasil, e teve sua primeira convocação para integrar a seleção brasileira pré-infantil, que acabou campeã sul-americana.

O título sul-americano com a seleção brasileira foi o primeiro passo para a conquista de experiência internacional. Em 2014, ela participou do seu primeiro campeonato na categoria individual infantil, realizado na Bulgária, junto com competidoras de todo o leste europeu, e conquistou o 1° lugar no aparelho bola, 2° lugar no aparelho mão livres e 3° no aparelho arco, 3° lugar individual geral e o título de Ginasta Perfeita do campeonato.

Este ano, Amanda já foi campeã geral do Campeonato Paranaense Individual nível 1, 1° lugar no aparelho mãos livres, 1°lugar no aparelho bola, 2° lugar no aparelhos maças e 3° lugar em arco, e campeã individual no Campeonato Brasileiro Individual nível 1. Com esses resultados, garantiu vaga na seleção brasileira individual infantil que disputará o Campeonato Sul-americano Individual, na Bolívia.

Atletas sul-mato-grossenses disputam vaga nos Jogos Paralímpicos de 2016
O Circuito Caixa de Atletismo e Natação Paralímpico tem mais duas etapas, ambas programadas para o Ibirapuera, em São Paulo, de 10 a 13 de setembro e...
Flamengo sai na frente, mas vê empate argentino e Independiente campeão
O Flamengo empatou com os argentinos do Independiente em 1 a 1 na final da Copa Sul-Americana, disputada na noite desta quarta-feira (14) no estádio ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions