A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

25/06/2010 14:11

Superação marca a experiência de campeão com "brutos"

Redação

O atual Campeonato Sul-Americano de Fórmula Truck, que terá neste final de semana Campo Grande como o palco da 4ª etapa do ano, conquistou pilotos com experiências e títulos internacionais que trocaram carros de no máximo 900 quilos para encararem brutos que ultrapassam as 4 toneladas.

Campeão da Indy Lights em 1998, da Cart (antiga Fórmula Indy) em 2002 e com 28 grandes prêmios disputados na Fórmula 1 entre 2003 e 2004, Cristiano da Matta é dos grandes pilotos brasileiros que trocaram os monopostos e carros de turismo pelos brutos da Truck. E não se arrependem.

O caso de Cristiano ganha contornos ainda mais passionais. Um dos pilotos mais rápidos do Brasil, viveu superação em dose dupla com seu caminhão Iveco nas provas da Fórmula Truck. A primeira, a própria dificuldade de se adaptar ao novo bólido, extremamente potente, mas completamente diferente em termos de comportamento. A segunda foi seu retorno às pistas após passar um mês em coma e um ano em recuperação após um acidente em 2006.

No dia 3 de agosto, durante testes da Cart em Elkhart Lake, Cristiano atropelou um cervo e colidiu em um dos muros da pista. Internado, o piloto passou por uma cirurgia que retirou um pedaço do crânio para aliviar a pressão. Foi ainda induzido ao coma durante um mês. Passou outros 11 meses em recuperação.

O sinal verde para voltar às competições foi dado em 2008, momento em que disputou algumas provas de protótipos da Le Mans Series Americana. A chegada à Truck aconteceu após alguns testes em 2009.

"Apesar de ainda estar acertando o caminhão e não ter conseguido bons resultados, acho que está sendo uma boa experiência. Recebi o convite para testar o caminhão em um momento em que não tinha convites de outras categorias. Piloto que gosta mesmo de correr não escolhe muito. Ele senta e vai embora. E estou gostando muito do caminhão", afirma Cristiano.

Sobre o acidente, o piloto é categórico. "Não acho que afetou minha capacidade de pilotar e nem me deixou assustado na pista. Continuo o mesmo. Meus tempos ainda são competitivos. Se fosse para ser um bundão eu não correria mais", garante.

Cristiano tem como colegas na categoria medalhões como o maior campeão da categoria, Wellington Cirino (que faturou títulos em 2001, 2003, 2005 e 2008 e 19 vitórias), Valmir Benavides (atual líder do campeonato e com 3 vitórias), Roberval Andrade (campeão em 2002 e 16 vitórias no currículo), Felipe Giaffone (bi campeão da Truck em 2007 e 2009 e vencedor na Indy em 2002) e Renato Martins (campeão em 1996 e 2006 com 27 vitórias).

Além deles, terá de encarar "novatos" com muitas conquistas nos monopostos, como Bruno Junqueira (que divide as pistas da Truck com as etapas da Indy) e Danilo Dirani (campeão sul-americano de Fórmula 3 em 2005 e tetra campeão brasileiro de Shifter Kart). Todos com experiência em "carrinhos de rolimã", brinca Valmir Benavides ao se referir aos pequenos e leves bólidos de corrida.

Volta a Capital

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions