A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

17/11/2015 20:29

Time de basquete em cadeira de rodas supera dificuldades e busca título em SC

Thiago de Souza
Dez atletas mais comissão técnica disputam campeonato em Santa Catarina. (Foto: Silas Souza)Dez atletas mais comissão técnica disputam campeonato em Santa Catarina. (Foto: Silas Souza)

Dez atletas do basquetebol de Mato Grosso do Sul em cadeira de rodas embarcaram no final da tarde de hoje (17), rumo a Brusque (SC), onde vão disputar a Copa Centro Sul Sudeste de basquete em cadeira de rodas. Os atletas lutam por vaga na terceira divisão em 2016. Na competição em Santa Catarina, o MS terá pela frente times de Brasília, Goiânia e de cidades de estados do sul do país.

A equipe de basquete foi formada em 1997, na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). O time faz parte do Caira (Centro Arco Íris de Reabilitação Alternativa). A instituição trabalha com deficientes físicos, intelectuais e cegos.

Segundo a técnica Belquice Florentin Falcão, os jogadores são de Campo Grande e o time é formado, em sua maioria, por vítimas de lesão medular por acidente de moto. “Antes o time era de pessoas vítimas de poliomelite e má formação congênita”, constata Falcão. Ela destaca os benefícios do esporte para a vida dos atletas. “O programa reabilita, melhora a autoestima e dá mais qualidade de vida”, relata a comandante do time.

A atuação dos atletas em quadra mostra o quanto é possível se adaptar a diferentes realidades. O jogador precisa empurrar a cadeira de rodas com uma mão e com a outra segurar a bola e pensar o jogo. São cinco atletas em quadra e o time é montado conforme o tipo de deficiência de cada atleta. 

Há três meses no grupo Fábio Rodrigues da Silva, 48, comenta que são eles que se adaptam ao basquete tradicional. O tempo do jogo é o mesmo, de 40 minutos, e a altura da tabela também. Ele cita apenas uma diferença entre eles e os atletas “normais”. “Nosso braço é mais forte”, ressaltou.

Dorcilei Taveira de Oliveira, 34 anos, foi vítima de um disparo de arma de fogo e perdeu os movimentos da perna. Ele destaca que o esporte mudou a vida dele, tanto a parte emocional quanto a parte física. “Deu uma alavancada muito boa na minha saúde. Estava bem sedentário e aí o esporte me deu um gás novo”, pontuou. Futuramente quer praticar outras modalidades, mas no momento quer focar no basquetebol e disputar vários campeonatos.

Fábio Rodrigues disse que o time é bom, mas espera dificuldades diante de outras equipes mais entrosadas durante o campeonato. 

Jogadores de basquetebol antes do embarque para Brusque (SC). (Foto: Silas Souza)Jogadores de basquetebol antes do embarque para Brusque (SC). (Foto: Silas Souza)
Gripe fulminante mata funcionário dos Correios 24 horas após sintomas
O operador de triagem dos Correios, Éder Jorge Rodrigues Souza, 47 anos, morreu, na tarde de sexta-feira (13), 24 horas após apresentar os sintomas d...
Comercial fica só no empate e é eliminado pela Seduc no Sub-17
O Comercial foi eliminado do Estadual Sub-17 ao empatar em 1 a 1 com o Seduc, na tarde deste sábado (16) em Campo Grande, no estádio Olho do Furacão....


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions