A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2018

12/07/2017 20:38

Vanderlei brilha, Santos marca no fim e derrota o Atlético em MG

Itamar Cardin (Estadão Conteúdo)
Santos bate Atlético/MG e dorme na vice-liderança (Foto: Bruno Cantini/Divulgação Atlético-MG)Santos bate Atlético/MG e dorme na vice-liderança (Foto: Bruno Cantini/Divulgação Atlético-MG)

Vanderlei teve uma noite emblemática nesta quarta-feira. Em duelo realizado no estádio Independência, em Belo Horizonte, o goleiro pegou pênalti, sofreu contusão e terminou o jogo no sacrifício. Foi o grande nome, assim, da boa vitória do Santos sobre o Atlético Mineiro por 1 a 0, em confronto válido pela 13 ª rodada do Campeonato Brasileiro. Victor também defendeu pênalti, mas não pôde impedir o gol do triunfo já aos 48 minutos do segundo tempo, feito de falta por Daniel Guedes.

O resultado colocou o Santos na vice-liderança provisória da competição, agora com 23 pontos, seis na frente do Atlético Mineiro. O próximo duelo da equipe paulista será neste domingo contra o Vasco, no estádio do Engenhão, no Rio, em jogo que será realizado com os portões fechados. Em Goiânia, no mesmo dia, o time do técnico Roger Machado desafia o lanterna Atlético Goianiense.

Sem contar com Copete, Lucas Lima, Ricardo Oliveira, Vitor Bueno e Zeca, entre outros desfalques, o Santos entrou em campo com uma postura defensiva, apostando mais nos contra-ataques. E o Atlético Mineiro "aceitou" a proposta do adversário. Mesmo sem Robinho, poupado devido ao desgaste e substituído por Marlone, o time contava com boa atuação de Cazares, Elias e Fred para criar boas oportunidades.

Logo aos oito minutos, Elias ganhou dividida, arriscou de longe e Vanderlei fez boa defesa. Três minutos depois foi a vez de Fred, da entrada da área, contando com desvio da zaga, chutar e ver a bola passar sair com perigo. E Yago, aos 15, aproveitando bom passe de Cazares, saiu na frente do goleiro, mas demorou para finalizar e desperdiçou boa oportunidade.

O Santos, apesar da pressão, mantinha-se fiel à proposta arquitetada pelo técnico Levir Culpi. E, apostando em seus ponteiros, também chegava com perigo. Na primeira boa oportunidade, ainda no início, Bruno Henrique recebeu lançamento de Thiago Ribeiro, deu drible seco e chutou com perigo.

Mas a principal chance veio aos 28 minutos, quando o próprio Bruno Henrique recebeu dentro da área, tentou driblar e foi derrubado pelo lateral-direito Marcos Rocha. Após a arbitragem marcar pênalti, Kayke pegou a bola e foi com confiança para a cobrança. A batida foi no canto esquerdo, à meia altura, sem força. Fácil para o goleiro Victor, que já defendera outras duas cobranças na competição, inclusive na última rodada contra o Botafogo, pegar mais uma e salvar o Atlético Mineiro.

Se o jogo reunia dois dos favoritos ao título do Brasileirão, ao menos segundo os prognósticos antes do início da competição, os minutos finais do primeiro tempo fizeram valer a perspectiva. Era um jogo com ritmo alucinante. Mesmo depois de perder o pênalti, o Santos não desanimou e quase abriu o placar aos 42, quando Bruno Henrique fez outra boa jogada e cruzou para Kayke. Em sua tentativa de redenção, o atacante driblou e bateu firme. E Victor, mais uma vez, defendeu - a bola ainda resvalou na trave.

A resposta do time mineiro foi quase imediata: aos 43 minutos, Cazares ganhou na corrida de Leandro Donizete, foi derrubado e o árbitro marcou pênalti. Era a vez de Fred tentar se consagrar. Mas, após uma cobrança rasteira, sem força, Vanderlei defendeu e evitou o gol atleticano. Os centroavantes vacilavam sucessivamente na noite dos goleiros.

Pouca coisa mudou no segundo tempo. As duas equipes se mantinham concentradas em suas propostas iniciais e criavam boas chances. Com Valdívia no lugar de Yago, o Atlético Mineiro aumentou a pressão - e seguia esbarrando em outra grande atuação de Vanderlei. E o Santos, sempre fiel aos contra-ataques, pecava na falta de pontaria.

No fim do jogo, após o time paulista ter feito as três substituições, Vanderlei ainda sofreu uma lesão e precisou terminar o jogo no sacrifício. Robinho também foi a campo nos últimos minutos. E, aos 48, quando o empate parecia que prevaleceria, Daniel Guedes cobrou falta com perfeição, assegurou o bom triunfo do Santos e coroou a atuação de seu goleiro, que terminou o duelo mancando.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 0 x 1 SANTOS

ATLÉTICO-MG - Victor; Marcos Rocha, Bremer, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Yago (Valdívia), Elias, Cazares e Marlone (Robinho); Fred (Rafael Moura). Técnico: Roger Machado.

SANTOS - Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Leandro Donizete (Alisson), Thiago Maia e Vecchio; Thiago Ribeiro (Vladimir Hernández), Kayke (Serginho) e Bruno Henrique. Técnico: Levir Culpi.

GOL - Daniel Guedes, aos 48 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Vecchio e Daniel Guedes (Santos).

ÁRBITRO - Marcelo de Lima Henrique (RJ).

RENDA - R$ 333.473,00.

PÚBLICO - 12.949 pagantes.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions