ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  10    CAMPO GRANDE 20º

Jogo Aberto

Advogados não quiseram caso do assassino confesso de Carla

Por Anahi Zurutuza, Geisy Garnes e Aline dos Santos | 17/07/2020 06:00
Marcos André Vilalba Carvalho, assassino confesso da vizinha, Carla Magalhães (Foto: Direto das Ruas)
Marcos André Vilalba Carvalho, assassino confesso da vizinha, Carla Magalhães (Foto: Direto das Ruas)

Desistência – No dia em que foi preso, Marcos André Vilalba Carvalho, de 21 anos, rapidamente recebeu a visita de dois advogados. O patrão enviou os defensores à DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídio). Mas, depois de entenderem o caso, os dois decidiram não fazer a defesa do assassino confesso de Carla Magalhães, de 25 anos.

Sem defesa – Ainda sem defesa, se ninguém aparecer para pegar o caso, a Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul terá de assumir.

Preso - Filho da desembargadora afastada Tânia Borges, Breno Fernando Solon Borges se apresentou ao presídio de regime semiaberto de Três Lagoas. Todos os presos foram autorizados a sair por conta da pandemia, mas o juiz Albino Coimbra Neto considerou que a prisão domiciliar do condensado frustrava a execução da pena. A defesa alega que a decisão foi discriminatória.

Caiu e não voltou – Por volta da 13h40 de ontem (16), a transmissão ao vivo do prefeito Marquinhos Trad (PSD) diária caiu. O chefe do Executivo municipal falava do número de leitos na Capital, mas decidiu não mais voltar e live terminou se a tradicional despedida.

Vagas – Marquinhos disse que Campo Grande tinha 108 leitos de UTI (Unidades de Tratamento Intensivo) antes da pandemia, número que sofreu acréscimo de 133 desde o início do combate ao novo coronavírus e vai chegar a 286 em breve.

Sacrifício – Diante da escalada no número de casos e do sistema de saúde perto do colapso, Marquinhos mais uma vez defendeu o endurecimento das medidas restritivas. Ao responder pergunta sobre se pode ou não praticar exercícios ao ar livre, ele disse ser um sacrifício temporário, já que o intuito do “mini lockdown” é reduzir ao máximo a circulação de pessoas na cidade. “Se eu quiser ir, vai. Mas por favor gente, são só dois fins de semana”.

Bom senso – O prefeito recebeu ainda queixa de trabalhador cujo patrão já informou que vai descontar os dois sábados fechados dos salários dos empregados. “Todo mundo falando em solidariedade e tem empresário dizendo que vai descontar o salário do funcionário. Pelo amor de Deus, tenham bom senso”.

Gente como a gente – O chefe do Executivo admitiu que também está “de saco cheio” da pandemia, mas entende que cada um tem de fazer sua parte. “Às vezes eu estou na rua e as pessoas dizem palavras forte contra mim, contra minhas filhas. Eu também estou psicologicamente abalado. Eu sou igual você, estamos todos com os nervos à flor da pele. Por isso eu peço por favor recebam os decretos e obedeçam, é necessário”.

Aniversário – Responsável por diariamente revelar os novos números do coronavírus em Mato Grosso do Sul, a secretária-adjunta de Saúde, Crhistinne Maymone, fez aniversário ontem. Em rede social, ela postou “celebrar a vida em meio a tudo que estamos vivendo é uma dádiva” e completou dizendo que a comemoração seria restrita à família.

Conversa com Bial – Nessa quinta-feira (16), um dos entrevistados do programa Conversa com Bial, da TV Globo, foi o infectologista, doutor Julio Croda, que quase todos os dias responde a perguntas dos jornalistas sul-mato-grossenses.  Médico da Fiocruz, ele esteve no Ministério da Saúde até março. Na entrevista para Pedro Bial, ele critica uma das vertentes do combate ao novo coronavírus que seria a chamada “imunidade de rebanho”, permitir o contágio até que 60% da população esteja “imune”. “Um genocídio”, afirma.