ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 21º

Jogo Aberto

Bernal e o cofre com R$ 577 milhões

Por . | 30/03/2013 06:00

Caixa cheio – O prefeito Alcides Bernal (PP) está, literalmente, com os cofres municipais abarrotados. Balanço divulgado na quarta-feira mostra que ele mais que dobrou o dinheiro em caixa. Nelson Trad Filho (PMDB) deixou R$ 246 milhões. Agora, a "disponibilidade bruta de caixa" da Prefeitura soma absurdos R$ 577,2 milhões.

Polêmica – A divulgação do resultado causou barulho em janeiro. Trad Filho afirmou, durante a transmissão do cargo, que tinha deixado R$ 246 milhões. Bernal rebateu, dias depois, de que o valor não era esse, já que a maior parte do recurso tinha destino carimbado. Agora, com mais dinheiro em caixa, o prefeito mantém a mão fechada e vem liberando, quando libera, o dinheiro a conta gotas.

Menos em saúde – A Prefeitura da Capital destinou 27,54% da receita corrente líquida para investimento em saúde. O percentual é um dos menores em relação aos outros gestores e anos, quando o percentual ficava acima dos 30%.

Sem remédios – Postos de saúde da Capital estão sem 300 tipos de remédios. A Secretaria Municipal de Saúde atribui a “carência” é reflexo de cancelamento de pregão pelo atual prefeito. Enquanto isso, a população paga a conta duas vezes, por meio dos impostos e na farmácia da esquina.

Alerta – Policiais militares e civis devem voltar a tomar cuidado com o risco de serem alvos de facção criminosa que surgiu nos presídios de São Paulo. O grupo preso anteontem de manhã planejava cumprir ordens para atacar policiais no Estado. No entanto, a investigação sobre o alvo segue sob sigilo pela Polícia.

Mira – A Enersul informou que pretende realizar vistoria minuciosa para detectar gatos em casas, lojas e indústrias. A concessionária promete não poupar nem os veículos de comunicação que estariam recorrendo a “meios escusos” para reduzir a conta de luz no final do mês.

Em peso – A presidente Dilma Rousseff (PT) vai mandar a tropa de choque para estreitar a relação com os prefeitos na segunda-feira, 1º de abril. Desembarcam os ministros das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, das Relações Institucionais, Ideli Salvati, e do Desenvolvimento Social, Tereza Campello.

Interprete – O senador Delcídio do Amaral (PT) busca um interprete para ajudar a ministra responsável pela articulação política de Dilma para entender a situação local. Para o petista, não será tarefa fácil explicar a “babel” em que se transformou a política sul-mato-grossense. O desafio é entender as costuras políticas envolvendo PT, PMDB, PSDB, PPS, PP, PCdoB, PSB, etc.

Petistas - O PT será o partido mais presente na reunião com os prefeitos. Tereza, Pepe e Ideli são filiados ao partido. Só o ministro das Cidades é do PP. Nenhum ministro do PMDB, que tem o maior número de prefeitos, está confirmado para o encontro de 1º de abril.

Ações – A Justiça vem concedendo várias liminares da Defensoria Pública para obrigar o município a matricular crianças em creches ao lado da residência. A medida vem salvando muita mãe que já foi obrigada a largar do emprego para ficar em casa cuidando dos pequenos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário