A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


09/07/2014 06:00

Brasil, e agora?

Edivaldo Bitencourt

Investimentos - O deputado Pedro Kemp (PT) foi até a tribuna da Assembleia, questionar os investimentos feitos pelo governo estadual, entre eles a obra do Aquário do Pantanal. Ele destacou que o executivo poderia ter priorizado mais a saúde, área em que a população mais aponta como essencial para o dia a dia, e que ainda precisa de muitas melhorias.

Discurso - O deputado Junior Mochi (PMDB) defendeu o projeto do governo e ressaltou que será um importante centro de pesquisa, que tem o potencial para atrair novos turistas para Campo Grande e todo Estado. Ele também ponderou que esta comparação com a saúde se trata de um discurso "político", já que são áreas e gastos diferentes.

Exemplo - Eduardo Rocha (PMDB) lembrou que a obra do Aquário trará vários benefícios ao Estado, e que o projeto está sendo fiscalizado pelos órgãos competentes. Ele também lembrou que quando o ex-governador Pedro Pedrossian, resolveu construir toda a estrutura administrativa no Parque dos Poderes, também disseram que seria um "elefante branco" e hoje a obra é motivo de elogios.

Pesquisa - O deputado Amarildo Cruz (PT) resolveu ajudar o colega de partido e sugeriu aos peemedebistas que fizessem uma pesquisa junto à população, para saber se esta é favorável ao Aquário do Pantanal, ou preferiam o investimento em outras áreas.

Campanha – As críticas, só feitas agora, mostram que a campanha eleitoral ganha força no legislativo estadual. Agora, candidatos, os deputados da oposição decidiram mirar o discurso fácil para tentar conquistar eleitores.

Desapego – Fã de futebol, o senador Delcídio do Amaral (PT), candidato a governador, abandonou a torcida pela seleção no fim do primeiro tempo. Desanimado e chateado, o petista adotou o discurso da maioria: a vida segue e ponto final.

Antecipa – Com a saída do Brasil da briga pelo título do mundial, políticos podem antecipar o início da campanha eleitoral. No entanto, a ressaca pode se estender até domingo, quando acontece a final e o evento finalmente termina. Em Mato Grosso do Sul, os candidatos devem manter o ritmo, ou seja, continuar parados até o final da semana.

Mistério – Mesmo já em plena corrida eleitoral, o candidato do PMDB ao Governo do Estado, Nelsinho Trad, ainda faz mistério sobre quem será o marqueteiro responsável por sua campanha. Ele é o único candidato que ainda não divulgou quem vai comandar os programas de TV.

Este não - O publicitário Chico Santa Rita, que fez as campanhas de André Puccinelli e Edson Giroto, foi preterido este ano pelo peemedebista. É a primeira vez nos últimos anos que ele não coordena a campanha do PMDB no Estado.

Mineirinho – Já o tucano Reinaldo Azambuja escolheu um mineiro, sociólogo e cientista política, Rodrigo Mendes, para ser o coordenador de sua campanha ao Governo do Estado. Mendes é diretor da Associação Brasileira de Consultores Políticas, e já atuou em mais de 40 pleitos no país.

(colaboraram Leonardo Rocha e Ludyney Moura)

Campanha, tiro na escola e oportunismo
“Guerra virtual” – Não podia ser diferente. O episódio lamentável em que uma criança de 9 anos entrou armada na sala de aula em Campo Grande e atirou...
Justiça agora pode até cobrar Delcídio
Ainda à espera - A Justiça Eleitoral rejeitou o registro de candidatura de Delcídio Amaral (PTC) ao Senado, depois da derrota nas uras. A juíza Eliza...
Clima de campanha não poupa nem festões
Todo lugar - O clima de campanha, neste segundo turno polarizado, não deixa escapar nem os casamentos. Durante festa no sábado no bufê Murano, na Ave...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions