A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


13/10/2016 06:00

Casal Olarte corre o risco de voltar para a cadeia este mês

Priscilla Peres

Haja assunto - Rose Modesto (PSDB) e Marquinho Trad (PSD) estão tendo que usar a criatividade para preencher os 10 minutos que cada um tem direito, no programa eleitoral na televisão. Rose usou um repórter com câmera escondida em um posto de saúde para mostrar a falta de remédio, já Marquinhos diz que analisa as propostas dos concorrentes que ficaram no primeiro turno para tirar o que há de melhor.

Tecnologia a favor - Diferente do início quando o tempo era escasso, agora sobra. Os dois também começaram a usar WhatsApp para se comunicar com moradores dos bairros. Durante o programa na TV, eles recebem as mensagens e respondem sobre o que farão para resolver aquele problema.

Nas ruas - Os candidatos a prefeitura de Campo Grande estão investindo nas caminhadas pelos bairros, nesta reta final de campanha. O contato direito com os eleitores durante o dia e as reuniões de partido a noite, está sendo a estratégia usada pelos dois, até nos feriados.

O voto perdido - A busca pelo voto e apoio daqueles que votaram nulo ou não foram participar da eleição no 1° turno, é o principal foco da candidata tucana, que está repetindo esta prioridade tanto nas caminhadas, como no programa eleitoral. Como ficou na segunda colocação, precisa reverter o placar contra seu adversário, escolhendo o público que ainda parece indeciso.

Dias decisivos - Apesar da semana de feriados, os deputados estaduais podem ter um momento importante, com a possível implantação da CPI dos Fantasmas. Resta apenas o presidente da Casa, o deputado Junior Mochi (PMDB), instalar a investigação, para os partidos indicarem os membros. A maioria foi a favor da apuração, mas alguns reclamaram que trouxeram um "embate eleitoral", para o legislativo.

Despontando - O vereador Elias Ishy, reeleito com 3.000 mil votos, está sendo comparado a Eduardo Suplicy, vereador mais votado no país. Os dois podem ser considerados a surpreendente exceção entre os petistas. Tiveram tanto voto que nem parecem filiados ao partido que encolheu em todo o país nesta eleição.

Sem brigas – A Justiça precisou marcar audiência para que vizinhos no condomínio Nahima Park, pivô de polêmica sobre a apropriação de rua no bairro Chácara Cachoeira, “dessem as mãos”.

Acordo do bem – A juíza Patrícia Kelling Karhol, da 7ª Vara do Juizado Especial de Campo Grande, mediou o acordo entre Humberto Sávio Abussafi Figueiró, morador do residencial considerado ilegal pela Prefeitura da Capital, e Andréa Xavier Leteriello, a síndica. Os dois concordaram em evitar tratamentos desrespeitosos.

Defesa – Advogados de Gilmar e Andreia Olarte tem de apresentar nos próximos dias a defesa para poder evitar que o casal volte para a prisão. O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) alega que soltos, o ex-prefeito e a ex-primeira-dama trabalharão na ocultação de provas. Ele são acusados de lavagem de dinheiro.

Sumido? – Procurado pela Justiça para ser notificado sobre a denúncia contra ele na ação resultado da Operação Coffee Break, o advogado e o empresário Luiz Pedro Gomes Guimarães “desapareceu”. Pelo menos para os oficiais de justiça que não conseguem encontrá-lo, embora ele tenha sido flagrado pelo Campo Grande News tomando sorvete com o amigo Gilmar Olarte numa tarde dessas.

(Colaboraram Anahi Zurutuza e Leonardo Rocha)

Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions