A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


19/07/2014 07:00

Com administração em crise, prefeito recorre mais a Deus

Edivaldo Bitencourt

Messiânico – Pastor da Igreja Assembleia de Deus Nova Aliança, o prefeito da Capital, Gilmar Olarte (PP), tem recorrido ainda mais a Deus nos discursos. Ontem, na Câmara Municipal, ele afirmou e reafirmou que com ajuda divina vai vencer as dificuldades de administração do município.

Chapéu – O prefeito da Capital festejou o fato de Campo Grande ser a primeira cidade a elevar o valor pago aos agentes comunitários de saúde e de combate a endemias. Em nenhum momento da solenidade, ele citou que o valor será pago pelo Governo federal. O impacto nos cofres municipais será mínimo.

Nova postura – O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Marcos Tabosa, mudou de postura em relação ao chefe do Executivo. De ferrenho opositor a Alcides Bernal, ele passou a ser um grande defensor de Gilmar Olarte. Ontem, na Câmara Municipal, o sindicalista não economizou adjetivos para elogiar o chefe do Executivo.

No pasto – Olarte recorreu ao pai, que também era pastor, para defender o atual estilo, devagar, quase parando. Ele explicou que ensinamento paterno indica que deve acompanhar o passo do gado. “Senão quebra a pata do boi se for com pressa”, justificou-se.

Gestos – O prefeito Gilmar Olarte começa a imitar o antecessor, Alcides Bernal. Ele recorre a Deus nos discursos, critica a imprensa, confere o crachá dos jornalistas e até recorre à Guarda Municipal para não conceder entrevistas.

DNA – O novo escândalo no tratamento do câncer em Mato Grosso do Sul envolve, de novo, o médico Adalberto Siufi, ex-presidente do Hospital do Câncer. Desta vez, três pacientes morreram e a clínica, que tem Siufi entre os sócios, não avisou o hospital sobre o problema registrado em um lote de medicamento.

Irritado – O presidente da Santa Casa, Wilson Teslenco, não escondeu a irritação por ter ficado sabendo do problema pela imprensa. As mortes ocorreram em uma clínica terceirizada. A prestação de serviço já foi apontada pelo Ministério da Saúde como o principal problema do hospital.

Viagem – Para evitar problemas com aliados e entre os peemedebistas, o governador André Puccinelli (PMDB) deve reduzir o tempo da viagem aos Estados Unidos. Inicialmente, ele ficaria 15 dias, mas deve ficar só uma semana.

Chiadeira – O deputado estadual Carlos Marun (PMDB) explicou que os peemedebistas ficariam revoltados se o deputado estadual Jerson Domingos (PMDB) assumisse o comando do Estado por 60 dias. O parlamentar é cabo eleitoral declarado de Delcídio do Amaral (PT).

Consolação – A ex-vereadora Tereza Name (PSD) não deverá ficar a ver navios se Delcídio for eleito governador. Ela, que desfalcou a chapa de Reinaldo Azambuja e desistiu de ser candidata a deputada estadual, pode assumir cargo no primeiro escalão de eventual administração petista.

(colaboraram Leonardo Rocha e Zana Zaidan)

DEM e a disputa entre André e Reinaldo
Já escolhi - Sobre a declaração de Puccinelli que estaria "namorando" o DEM, o deputado Zé Teixeira fez brincadeira para dizer de qual lado da disput...
Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...
PMs presos têm “festival de ações”
Conhecidos da justiça - Entre as duas dezenas de policiais militares de Mato Grosso do Sul presos esta semana por suspeita de facilitar a vida dos co...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions