ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 23º

Jogo Aberto

Contra "envelhecimento", MDB tenta arregimentar jovens

Por Marta Ferreira e Leonardo Rocha | 07/10/2020 06:00
O ex-governador André Puccinelli, ainda a principal liderança do MDB em MS. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
O ex-governador André Puccinelli, ainda a principal liderança do MDB em MS. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

“Gurizada”- O diretório do MDB em Campo Grande vai promover nesta quarta-feira (7) filiação de jovens, com a intenção de criar novas lideranças. A faixa etária é elástica: vai dos 16 a 34 anos, para reforçar a legenda com novas lideranças. O ato será na sede, das 12h até às 18h.

Número –  A legenda que já governou Campo Grande por mais de duas décadas e também já teve o comando do Estado ainda é a mais povoada. São quase 50 mil filiados, mas existe um entendimento interno de que há um “envelhecimento”.

Renovação – Ter novos quadros na legenda é recomendação da principal liderança emedebista, o ex-governador André Puccinelli (MDB), de 72 anos. Nas agendas em que aparece, ele vem reforçando que o partido precisa fazer isso. Chegou a dizer que “não vai ficar para semente”.

Mudança – Candidato à prefeitura de Campo Greande, o deputado Pedro Kemp (PT) fez indicação ao governo que altere o decreto sobre a ajuda emergencial aos artistas. "Tem muitos critérios e burocracia que só prejudica e exclui", descreveu.

Ajuda - Kemp afirma que o atual decreto exige por exemplo certidões negativas, no momento  em que os artistas estão com problemas financeiros e muitos passando necessidades. "Esperamos que o decreto mude e que o recurso seja liberado o quanto antes".

Mais popular – Candidato à prefeitura de Campo Grande pelo Podemos, o procurador licenciado do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) preferiu manter no nome para a disputa a função anterior, de promotor. Ele ocupada desde 2017, o cargo mais alto na estrutura do órgão ministerial, e com salário bem maior que a função usada com cunho eleitoral.

Há provas- Peça apresentada pelo promotor Wilson Canci Junior à 2ª Vara do Tribunal do Júri em Campo Grande pede que Rômulo Rodrigues Dias, 34 anos, seja levado ao júri popular pelo feminicídio de Grazia Rubiano. Ela desapareceu em abril e, segundo a acusação, foi morta por Rômulo, que também se desfez do corpo.

Contradições e inconsistências – Com essas duas palavras o promotor definiu a versão de inocência apresentada pela defesa de Rômulo. Com base no que disseram as testemunhas desde a investigação, além das declarações do próprio réu, a conclusão da promotoria confirma o conteúdo do inquérito da DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios), de que o acusado cometeu o crime motivado pela descoberta de uma traição.

E agora – O processo aguarda as argumentações finais da defesa de Rômulo. Também espera o andamento de pedido da defesa para rastreamento das contas de Grazi, sob alegação de que se for comprovada movimentação, pode indicar que ela esteja viva, como afirma a defesa. Depois disso, o juiz Aluizio Pereira dos Santos decide se vai mandar o réu para o júri.

De longe - Tem morador de Campo Grande recebendo ligação no telefone fixo se suposto instituto de pesquisa querendo saber a intenção de voto para prefeito de Corumbá. Ou as quadrilhas especializadas em roubo de dados para golpes começaram a agir ou é a tal consulta não é tão confiável.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário