ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  29    CAMPO GRANDE 22º

Jogo Aberto

Deputado adia ida ao governo para votar pacote “do chefe”

Por Gabriela Couto e Adriel Mattos | 17/11/2021 06:00
Rocha é o primeiro vice-presidente da Assembleia. (Foto: Luciana Nassar/Alems)
Rocha é o primeiro vice-presidente da Assembleia. (Foto: Luciana Nassar/Alems)

Espera aí – O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse na terça-feira (16), que a ida do deputado estadual Eduardo Rocha (MDB) para o Parque dos Poderes vai demorar um pouco mais. Ele afirmou que conta com o voto do parlamentar para aprovação dos 15 projetos de reajuste e reestruturação da carreira de servidores. A tramitação deve demorar cerca de 15 dias.

Tchau, galera – Na semana passada, Rocha confirmou que recebeu convite para ocupar um cargo de secretário, mas ainda falta definir se será da pasta de Governo e Gestão Estratégica ou da Casa Civil.

“Bondades” – Durante o anúncio de reajuste das categorias, Azambuja fez questão de citar o “pacote de bondade” que recebeu do ex-governador André Puccinelli (MDB), quando concluiu o mandato e deixou a obrigação de reajuste para o tucano cumprir. Ele nomeou o atual gestor para os servidores de “pacote de responsabilidade”. Os compromissos serão cumpridos ainda no último ano da gestão de Azambuja.

Ansioso – O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), disse estar ansioso para tomar a terceira dose da vacina contra covid-19, liberada para os demais cidadãos na terça-feira. “Estou ansioso tanto quanto na primeira e na segunda dose. Assim que abrir, estarei lá no posto”, disse.

Vai esperar – Marquinhos viaja nesta quarta-feira (17) ao Paraguai, na data em que sua faixa etária, 57 anos, poderá tomar a dose de reforço. Se estiver apto, porque depende da data de aplicação da dose 2, o prefeito terá que esperar.

Fazia tempo – Como Marquinhos viaja acompanhado da vice Adriane Lopes (Patriota), o presidente da Câmara Municipal, Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), assumirá a prefeitura interinamente. A última vez em que isso aconteceu foi há 13 anos.

História – Em novembro de 2008, o então prefeito Nelsinho Trad viajou para Portugal e Espanha e, como não tinha vice na ocasião, coube ao então presidente da Câmara, Edil Albuquerque comandar o município.

Linha – A falta de vice fez a linha sucessória se alongar naquele mesmo ano. Em julho, na ausência de Edil, coube ao então procurador-geral do município, Ernesto Borges, assumir a prefeitura durante a viagem de Nelsinho aos Estados Unidos.

Eu e ele – O ex-vereador Vinícius Siqueira usou a figura do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, para aventar a possibilidade de ser candidato ao Governo do Estado em 2022. Moro é cotado para concorrer à Presidência da República.

Vem aí – Em publicação no Instagram, Siqueira diz que o “combate à corrupção ressuscitará” com Moro e ele eleitos para os respectivos cargos. “Precisamos retomar o que parou”, completou o ex-vereador.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário