ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  03    CAMPO GRANDE 22º

Jogo Aberto

Despejado, médico se defende e recebe apoio virtual

Por Marta Ferreira | 22/06/2021 06:00
João Jackson, em foto do Instagram, comenta criticas ao tratamento que usa em pacientes de covid-19. (Foto: Reprodução do Instagram)
João Jackson, em foto do Instagram, comenta criticas ao tratamento que usa em pacientes de covid-19. (Foto: Reprodução do Instagram)

Coisa feia - “Vergonha alheia” foi o comentário feito à coluna por profissional da Medicina sobre o comportamento do colega, João Jackson Duarte, que foi à Justiça contra Vigilância Sanitária de Campo Grande. Adepto de protocolo polêmico contra a covid-19, o médico foi “despejado” de edifício onde há negócios de todo o tipo instalados.

Insistente – Com a notícia no ar, o doutor foi para o Instagram, onde é bastante popular, criticar quem o critica. Depois de defender a forma como trabalha, deixou pergunta no ar. “Será que as mortes interessam?

Audiência – Em menos de uma hora, a afirmação rendeu uma centena de comentários e 1,8 mil curtidas. Nesse perfil, João Jackson tem mais de 30 mil seguidores.

De perto - O Ministério Público de Mato Grosso do Sul informou que continuará esta semana buscando via conciliatória extrajudicialmente com relação às medidas de segurança para desacelerar a onda de contágios e mortes pela covid-19 no Estado. Na semana passada, o órgão tentou liminar contra decreto de Campo Grande, mas não conseguiu.

Reforço – Em resposta sobre como vai atuar diante de decisão judicial, o órgão reiterou a “relevância pública do julgamento das ADI’s [ação direta de inconstitucionalidade]”. O argumento é de que o pedido não se limita ao descumprimento, nesta semana, do decreto estadual, “uma vez que o problema poderá se repetir nas próximas edições regulamentares do Prosseguir”.

Melhor decidir – Na avaliação do MP, há potencial multiplicador de demandas desse tipo e “instabilidade social”. Por isso, o órgão defende como fundamental a construção de solução definitiva do problema.

Esclareçam – O secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Antonio Carlos Videira, agradeceu ontem ao trabalho da imprensa de informar que eram mentirosas as informações circulando na internet sobre o bandido Lázaro Barbosa, que está sendo caçado em Goiás, ter sido visto em cidades sul-mato-grossenses.

Definição – Para o secretário, uma palavra traduz esse tipo de boato espalhado rapidamente pelos aplicativos de comunicação instantânea. “Sacanagem”.

Questionamento – Depois de se manifestar contra a privatização da Eletrobras, o deputado Fabio Trad (PSD), foi confrontado por seguidor sobre o posicionamento do irmão, Nelson Trad, senador pelo mesmo partido, a favor da negociação. O parlamentar não deixou barato e respondeu.

Diferentes - “Engraçado”, afirmou o internauta, sobre as opiniões diferentes. Fabio Trad disse não achar isso para depois afirmou que ele e o irmão são pessoas distintas. “Cada um com suas ideias, pensamentos, valores, dores, angustias e esperanças”. Completou dizendo ser essa a “beleza da vida”.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário