ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  23    CAMPO GRANDE 33º

Jogo Aberto

Ex-guarda preso na Omertà dispensa Defensoria Pública

Por Marta Ferreira e Leonardo Rocha | 13/11/2019 06:00
O ex-guarda civil Marcelo Rios, preso em maio deste ano com arsenal. (Foto: Arquivo)
O ex-guarda civil Marcelo Rios, preso em maio deste ano com arsenal. (Foto: Arquivo)

Não precisa - Preso desde maio deste ano, quando foi flagrado com arsenal pesado, o ex-guarda civil de Campo Grande Marcelo Rios, 42 anos, dispensou o atendimento da DPU (Defensoria Pública da União). Réu na Operação Omertà, contra grupo de extermínio, ele chegou a solicitar o atendimento de defensor público na Penitenciária Federal de Mossoró. Ele foi representado pela DPU, mas depois informou que constituiria advogado particular, segundo informou o órgão à coluna. 

Motivação – Quando foi feito o pedido, o relato que constou em processo judicial por obstrução de justiça contra Marcelo é de que ele pretendia destituir o então advogado, Alexandre Franzoloso, porque foi impedido por ele de colaborar com as investigações, mesmo querendo. Essas informações foram fornecidas em agosto pela esposa de Rios, testemunha-chave na Omertà.

Continua - Alexandre Franzoloso segue aparecendo como defensor de Marcelo Rios no processo referente à apreensão das armas e na ação que definiu a transferência para o sistema federal. Na medida investigatória desencadeadora da Omertà, no dia 27 de setembro, porém, não há representação para ele. O advogado citado é reu também por tentar atrapalhar o andamento da investigação.

Encaminhamento – A ação por crime contra o sistema nacional de armas é a mais adiantada em relação ao grupo de extermínio identificado pelo Gaeco e pela Garras. Existe audiência marcada para 16 de dezembro e Marcelo Rios deve participar por meio de videoconferência, não se sabe ainda com que defensor. 

Preparação - A nova direção do PP está preparando evento para o dia 22 de novembro, em Campo Grande, com a participação de lideranças nacionais. A intenção é já definir e apresentar alguns nomes que vão concorrer às prefeituras de 2020. O presidente regional, o deputado Evander Vendramini (PP), garante que a legenda quer ter um candidato a prefeito na Capital, mas este nome ainda não foi escolhido.

Solidariedade - O deputado Paulo Corrêa (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa, lançou campanha para arrecadar brinquedos e doar para famílias carentes. Os servidores do Legislativo poderão levar os itens até o dia 13 de dezembro.

Todo mundo - "Peço o engajamento de todos os funcionários, no espírito natalino de solidariedade, para levar felicidade às crianças que vão receber esses presentes doados de coração”, disse o tucano.

Não rolou - O deputado Marçal Filho (PSDB) não conseguiu ser indicado para fazer parte da CPI da Energisa, por meio da sua bancada do PSDB, já que o escolhido foi Felipe Orro (PSDB), que tinha vaga garantida por apresentar o pedido para investigação. Com isto o tucano pediu para ser indicado pelos outros dois blocos, mas nos outros grupos também tinha parlamentares interessados em participar.

Anti-truculência – Não só de aulas de tiro e treinamento para uso de armas não letais vive a Guarda Civil Metropolitana. Acusados muitas vezes de tomarem atitudes truculentas, guardas receberão também capacitações sobre “racismo institucional” e para abordagem de pacientes em surto psiquiátrico.

Conteúdo – Na primeira palestra, servidores receberão “dados e fatos reais que aumentam as desigualdades em nossa sociedade” e na segunda, serão qualificados para “detectar uma urgência psiquiátrica considerando como doença, mantendo o controle emocional na contenção do paciente”.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário