A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 24 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


09/06/2014 06:00

Foi por R$ 50,00

Marta Ferreira

Cinquenta reais. Esse era o valor pelo qual, segundo fontes do Jogo Aberto, o policial Rony Maickon Varoni de Moura Silva, 28 anos, fazia o transporte de malote com R$ 20 mil que bandidos tentaram roubar, na terça-feira, quando acabaram matando o soldado da PM (Polícia Militar).

Pouco demais – O valor do trabalho por fora, segundo a coluna apurou, é considerado baixo entre os policiais e questionado por aqueles que não fazem bicos, que consideram o pagamento recebido irrisório para arriscar a vida, como aconteceu com Rony. O jovem estava na Polícia há quase 4 anos, e estava se preparando para fazer um curso de cabo, para melhorar de salário.

Situação comum
– Fazer o tal bico é uma situação quase que institucionalizada entre policiais, sob alegação de que ganham mal para cumprir com as obrigações familiares. O salário de um soldado na Polícia Militar, bruto, é em torno de R$ 3 mil em Mato Grosso do Sul.

Valores – Pelo que a reportagem levantou junto a policiais, a diária de um “serviço extra”, como eles preferem chamar, custa entre R$ 80 e R$ 100 para trabalhos como segurança particular. Para transportar valores existe, conforme apurado, uma outra tabela, que é percentual em relação ao montante a ser levado, a combinar.

Desespero – Os mesmos policiais que consideram baixo o valor supostamente recebido por Rony disseram que, apesar disso, há muitos “clientes” que não oferecem mais que isso. “E quando o policial está precisando, ele acaba fazendo”, diz um deles. Rony, segundo divulgado, estava guardando dinheiro para se casar, no ano que vem.

Por outro lado – Enquanto entre os praças o bico é a forma de ampliar o orçamento, entre os oficiais, que ganham bem melhor, serviço extra tem que ser bem pago, principalmente se para o Governo. Agora, por exemplo, tem policial de patente mais alta que achou pouco o valor da diária paga para quem vai atuar na segurança da Copa do Mundo em outros locais e deu um jeito de não participar. O montante é em torno de R$ 500,00. A conta até faz sentido, pois esse valor seria para atuar em locais como São Paulo ou Brasília, onde o custo de vida é bastante alto.

Proposta – Com a ideia de combater essa situação e ampliar os ganhos dos policiais, a associação que reúne cabos e soldados em Mato Grosso do Sul pretende levar nesta semana uma sugestão ao secretário de Justiça e Segurança Pública, Wanturi Jacini Brasil, de que, em sua folga, os policiais recebam, do Governo, para reforçar a segurança e coibir crimes.

Como seria – O presidente da associação, Edmar Soares, diz que já houve uma conversa preliminar a esse respeito com o secretário. Segundo ele, a proposta é que o policial faça essa hora extra depois de ter descansado 24 horas de um plantão.

Amenidades - Pelo menos nas redes sociais, onde a campanha promete pegar fogo neste ano, o clima por enquanto é tranquilo entre os candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul. Delcídio do Amaral, do PT, por exemplo, publicou ontem fotos de um ipê roxo, lembrando a chegada da temporada de florada das árvores. Nelson Trad Filho, do PMDB, apareceu em uma foto jogando tênis de mesa. E na última postagem ontem à noite, pedia o fim das baixarias na internet.

Ainda Aécio - Para Reinaldo Azambuja, pré-candidato do PSDB, no domingo, a última postagem disponível na página do Facebook continuava aproveitando as repercussões da visita a Campo Grande de Aécio Neves, candidato tucano à presidência da República. Aécio esteve na cidade na sexta-feira, já em tom totalmente voltado ao pedido de votos para si e para o colega de partido.

 

 

Gaeco tem suspeita de vazamento
Desconfiança – O Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado), responsável pela investigação que aponta envolvimento de policiais militare...
DEM e a disputa entre André e Reinaldo
Já escolhi - Sobre a declaração de Puccinelli que estaria "namorando" o DEM, o deputado Zé Teixeira fez brincadeira para dizer de qual lado da disput...
Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions