ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 24º

Jogo Aberto

Médico que disputa prefeitura é alvo de processos por erro

Por Marta Ferreira e Nyelder Rodriques | 14/10/2020 06:00
O médico Gabriel Alves de Oliveira, vereador e candidato a prefeito em Corumbá, é alvo de dois processos judiciais. (Foto: Diário Corumbaense)
O médico Gabriel Alves de Oliveira, vereador e candidato a prefeito em Corumbá, é alvo de dois processos judiciais. (Foto: Diário Corumbaense)

Na Justiça – Censurado publicamente em junho deste ano pelo CRM (Conselho Regional de Medicina) em razão de episódio ocorrido durante cirurgia filmada, quando a equipe tirou sarro do paciente, o candidato a prefeito de Corumba Gabriel  Alves de Oliveira é alvo também de pelo menos dois processos por erro médico.

Os erros – Segundo a coluna apurou, em uma das ações, a paciente fez uma cirurgia para retirada de nódulo de mama com Gabriel mas precisou fazer uma segunda operação, porque não foi retirado todo o tumor benigno. A outra, gestante, foi atendida por ele aos 37 semanas de gravidez, foi mandada de volta para casa e acabou perdendo a criança.

Em andamento – As duas ações por erro médico estão correndo na comarca de Corumbá. Entre as providencias, estão perícias médicas para identificar o que aconteceu com as pacientes.

Agora não – O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) recomendou ao Circuito de Laço Talismã de Caracol que se abstenha de realizar o evento “1ª Festa em Trio”, conhecido popularmente como “Festa do Laço”, programado para 31 de outubro e 1º de novembro de 2020. A orientação foi enviada também à Prefeitura da cidade.

Tá escrito – No documento, o promotor de Justiça William Marra Silva Júnior recomenda que a cidade não deve realizar eventos que promovam aglomeração em temos de pandemia. Ele lembra que “em todo território municipal”, a realização de eventos que possam gerar aglomeração de pessoas está prevista em decreto baixado pela administração municipal.

Sem hermanos – O feriado de Nossa Senhora Aparecida é, tradicionalmente, época de muitos paraguaios em Bonito. Os vizinhos a Mato Grosso do Sul se aproveitam de uma espécie de “semana do saco cheio” de lá para conhecer a cidade turística. Esse ano, vieram pouquíssimos.

Turismo interno– Com a passagem na linha de fronteira fechada, o turista paraguaio não teve como aproveitar os passeios bonitenses este ano. Na cidade, aliás, a maior parte dos visitantes eram pessoas de outros municípios vizinhos, segundo a percepção levantada pela prefeitura.

Tempos modernos - Em uma era totalmente digital, já começam a aparecer vídeos de reuniões políticas com gravações de supostas ilegalidades. Contudo, há quem garanta que não passa de mero desespero eleitoral, já que de ilegal não há nada ali

Futebol - Na tentativa de capitalizar votos, há muita gente usando o escudo e as cores de times de sucesso no Brasil e até o nome de grupos de torcedores para tentar se eleger em Campo Grande. Os santinhos mais parecem convite para ver um jogo quarta à noite

Garras afiadas - Há também quem garanta que se famosa operação policial apertar mais o cinto, sobra até para entidades ligadas ao esporte local e o trono há muito ocupado pela mesma pessoa pode se estremecer. Será?

Lambança - Mal o então presidente do Comercial morreu de covid-19 e o substituto já é contestado por outro ex-presidente, apontando irregularidades no processo eleitoral. A questão é: tanta confusão é movida apenas por amor à camisa?

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário