ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 21º

Jogo Aberto

Na hora do aperto, Google traduz guarani. Sabia?

Anahi Zurutuza e Adriel Mattos | 27/06/2022 06:00
Google traduz guarani para português e outros idiomas (Foto: Reprodução)
Google traduz guarani para português e outros idiomas (Foto: Reprodução)

Tradutor – É uma das línguas mais antigas faladas no território nacional, mas jornalistas do Campo Grande News só perceberam o quanto ela é, de certa forma, ignorada quando precisaram entender o que diziam indígenas guarani-kaiowá de Amambai, onde na sexta-feira (24), após confronto com o Batalhão de Choque, um dos integrantes da comunidade tradicional morreu e vários ficaram feridos. Mais curioso foi descobrir, só agora, que até o Google, multinacional mais poderosa no ramo da internet, tem ferramenta para tradução do guarani para outros idiomas.

As línguas – Cinco das mais de 150 línguas indígenas faladas no Brasil têm mais de 10 mil falantes, segundo dados do Censo de 2010, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O guarani-kaiowá é o segundo idioma mais popular, com pelo menos 26 mil falantes, perdendo apenas para o tikuna que é falado por 34 mil pessoas. Mas, o guarani tem variações, como o guarani-nhandeva e o guarani-mbya.

Faz pouco tempo – E faz pouquíssimo tempo que o guarani é um dos idiomas disponíveis no Google Tradutor. A plataforma anunciou que incluiria a língua indígena e outros 23 em evento realizado em maio deste ano. Um dos idiomas oficiais do Mercosul, junto ao português e o espanhol, o guarani é falado por cerca de 7 milhões de pessoas em países como Argentina, Paraguai e Bolívia, além do Brasil.

Guerra de edição – A página da senadora Simone Tebet (MS), pré-candidata do MDB à Presidência, na Wikipedia virou "campo de batalha" entre uma assessora dela e editores da maior enciclopédia on-line e colaborativa do mundo. Segundo o jornal O Globo, trechos que tratam da posição ou projetos da parlamentar sobre a questão indígena foram editados, mas revertidos por usuários da plataforma. A assessora de Simone foi bloqueada e novas edições foram limitadas. O gabinete da senadora informou que vai acionar a Wikipédia para contestar trechos da biografia.

Viagem – O senador Nelsinho Trad (PSD/MS), relator da Comissão Temporária sobre a Criminalidade na Região Norte, confirmou a ida do grupo à Amazônia na quinta-feira (30), especificamente na região onde o indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips foram assassinados. O crime teria acontecido em 5 de junho e os corpos foram encontrados dez dias depois. Eles desembarcam em Tabatinga (AM) pela manhã. De lá, seguem para Atalaia do Norte e retornam no fim do dia a Brasília (DF).

Pressão – Deputados federais integrarão também a comitiva, que vai se encontrar com indígenas e membros de entidades que atuam na região. “Foi impressionante a demanda que eu recebi dos colegas parlamentares dos outros países no que tange a denúncias, no que tange a pedido de esclarecimento, no que tange a organizar uma força-tarefa para garantir a segurança daqueles mais vulneráveis que vivem em território amazônico e coibir essas práticas ilegais de tráfico não só de drogas, mas de madeira, desmatamento, queimadas e pesca ilegal. Ou seja, situações que não condizem com aquilo que a gente sabe que deve ser a essência da Amazônia, a sua preservação e o seu respeito em função do que ela representa para o Brasil e para o mundo todo”, declarou Nelsinho.

Na agenda – O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, convocou para a próxima terça-feira (28), às 9h, audiência de conciliação entre representantes dos governos de Mato Grosso do Sul, das outras 26 unidades da Federação e da União para buscar um acordo na questão do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre os combustíveis. A medida foi adotada em ação apresentada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), que pede a limitação da alíquota do tributo à prevista para as operações em geral. A audiência será realizada por meio da plataforma Zoom.

Limites – A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul apresentou projeto de lei que impõe teto nos salários dos servidores da Casa. A matéria regulamenta trecho da Constituição do Estado para limitar os vencimentos a 90,25% dos salários dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), hoje de R$ 39,2 mil. "O conteúdo do parágrafo 12 [da Constituição] é norma constitucional de eficácia limitada por princípio institutivo. Ou seja, depende de lei para dar corpo a sua aplicabilidade", diz a justificativa da proposta.

Plano A – A Operação Acesso Pago, da PF (Polícia Federal), que apura suspeita de tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), vinculado ao Ministério da Educação, consolidou o nome do ex-ministro da Defesa, Walter Braga Netto, como vice na chapa à reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL), em detrimento da deputada federal e ex-ministra da Agricultura, Tereza Cristina (PP-MS). A conclusão é da colunista Malu Gaspar, do jornal O Globo.

Raciocínio – Braga Netto sempre foi o preferido de Bolsonaro, que acredita que o general da reserva do Exército na chapa o livraria de um impeachment no eventual segundo mandato, enquanto Tereza, por ser indicação do Centrão, mantém o presidente em seu eterno “estado de desconfiança”.

Nos siga no Google Notícias