ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUINTA  03    CAMPO GRANDE 24º

Jogo Aberto

Nelsinho e a negociação para garantir embaixadores em MS

Por Marta Ferreira, Leonardo Rocha e Aline dos Santos | 21/10/2020 06:00
O senador Nelsinho Trad durante sessão virtual de comissão. (Foto: Assessoria de imprensa)
O senador Nelsinho Trad durante sessão virtual de comissão. (Foto: Assessoria de imprensa)

Negociador - Envolvido com o universo acadêmico, o senador Nelsinho Trad (PSD) contou bastidores da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal, onde atua como presidente. A história que mais chamou atenção foi sobre como fez para trazer a Campo Grande nove embaixadores da Ásia para conhecer as riquezas estaduais e se informar sobre estudos sobre a Rota Bioceânica.

Alternativas - O voo teve overbooking e não havia mais lugares para três embaixadores. Ele conversou com o piloto e implorou para embarcá-los. Do jeitinho brasileiro, o piloto ofereceu passagens gratuitas para um passageiro e acompanhante pela desistência do voo. Sem êxito, dobrou a oferta, conseguiu as três vagas e o senador trouxe os embaixadores para Campo Grande no começo deste ano, antes da pandemia.

Culpado - Sentença da juíza Luísa Sá de Figueiredo aplicou multa de R$ 53 mil ao candidato do PSD à prefeitura de Corumbá, Gabriel Alves de Oliveira, por divulgar resultado de pesquisa inexistente.   A justiça já havia determinado a retirada de post das redes sociais com a informação, no dia 11 de outubro, e ontem (20), o caso foi sentenciado.

Em que pese o representado não ter feito menção expressa a pesquisa formalmente registrada perante o Juízo eleitoral, conforme disciplina a Resolução TSE n. 23.600/19, o texto publicado passa a mensagem de que “uma pesquisa” aponta que o candidato representado está em primeiro lugar, pesquisa essa que não existe, conforma aponta o representante, escreveu a juíza.

Quem questionou – O representado citado pela magistrada é a coligação liderada pelo MDB, que apontou fraude no post do candidato do PSD, vereador na cidade. No texto, ilustrado com uma capivara, lê-se “VOTI, TÔ VENDO AQUI NA PESQUISA QUE O DOTÔ TÁ EM PRIMEIRO LUGAR ATÉ NO PANTANAL”.  Não há qualquer levantamento citado, como é obrigatório por lei.

 Espalhados - Com a sessão virtual na Assembleia Legislativa, os trabalhos são feitos por aplicativo e os deputados podem estar em diferentes locais e cidades. Nesta terça-feira, Eduardo Rocha (MDB) votou os projetos de Brasília, Evander Vendramini (PP) de Corumbá e Marçal Filho (PSDB) de Dourados.

Apressado - Ao anunciar a data da eleição da mesa diretora, Evander Vendramini (PP) já quis saber se neste dia seriam formados os novos blocos políticos da Assembleia, assim como as comissões da Casa de Leis.  Foi avisado de que estas mudanças ocorrerão só em 2021.

Planos - Vendramini quer formar um novo bloco político, após ele e outros parlamentares terem saído do G-10, em busca de mais espaço dentro da Assembleia. Eles até ensaiaram criar o G-4 ainda neste ano, no entanto foram informados que estas alterações apenas em 2021.

Mudança de texto - O resultado do julgamento em que o TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) arquivou denúncia contra juiz afastado Aldo Ferreira da Silva Júnior teve uma nova resenha divulgada em diário oficial. Antes na lista dos desembargadores que se declararam suspeitos, Luiz Gonzaga Mendes Marques agora aparece como se “e absteve de votar pelas razões registradas na sua manifestação”.

Na disputa – Um dos pesquisadores mais procurados durante a pandemia de covid-19, o médico Rivaldo Venâncio, professor da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) está na disputa pela presidência da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), no Rio de Janeiro. São quatro candidaturas ao mantado de 2021/2024.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário