A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


24/09/2016 07:00

No WhatsApp, vereadora ironiza e ofende candidatos

Waldemar Gonçalves

O que tem? – “O que tem?”, questionou o presidente da Câmara Municipal, João Rocha (PSDB), sobre a situação envolvendo André Scaff, um dos procuradores jurídicos da casa de leis. Ele mesmo respondeu, afirmando que o que existe, atualmente, é uma investigação contra o servidor. “Seria justo tomar alguma atitude contra ele?”, questionou.

Qualquer um – Rocha ainda disse que “todo cidadão está sujeito a ser investigado”, mas não quer dizer que é, necessariamente, culpado. A explicação é justificativa para manter Scaff no quadro de pessoal do Legislativo Municipal, mesmo sendo ele alvo de duas fases de uma operação que investiga lavagem de dinheiro, corrupção passiva e ativa, associação criminosa e falsidade ideológica.

Concursado – Scaff é um dos procuradores da Câmara que passaram no concurso público do Legislativo Municipal. Antes de assumir a Secretaria Municipal de Finanças, na gestão de Gilmar Olarte (PROS), o servidor também acumulou o cargo comissionado de chefe de gabinete da presidência da casa de leis. Por isso, era sempre visto na mesa diretora durante as sessões ordinárias. Segundo Rocha, André Scaff não voltou à função desde que deixou a pasta municipal, em agosto do ano passado.

Vazou no Whats – Áudio de WhatsApp circulou ontem pela internet com a vereadora – candidata à reeleição – Luiza Ribeiro (PPS) se referindo de modo, digamos, pouco adequado a candidatos a prefeito de Campo Grande. Em meio a termos pejorativos e até ofensivos, ela fala sobre uma reunião política de mulheres com os concorrentes ao Paço Municipal.

Feminista? – Feminista de carteirinha, em certo momento Luiza lança mão de termos chulos para se referir a um dos candidatos como sendo homossexual. Em outro trecho o alvo de chacota é uma das mulheres candidatas a prefeita, a quem se refere com um trocadilho irônico.

Duas caras – Não bastasse os termos questionáveis da vereadora, sua posição política nestas eleições também é peculiar. Oficialmente, seu partido tem candidato, Athayde Nery, mas ela apoia abertamente a reeleição do atual prefeito, Alcides Benal (PP), sendo praticamente figura solitária em sua base na Câmara Municipal.

Compromisso com a saúde – O coordenador do Conselho Municipal de Saúde, Sebastião Júnior, confessou ontem, quando o colegiado promoveu sabatina com os candidatos a prefeito, que ouvi-los sobre projetos para o setor ajuda a escolher em quem votar, mas o principal foi fazer com que eles assinassem um compromisso com a entidade. Entre os temas estava a não terceirização da saúde na Capital.

Será eu – A candidata Rose Modesto (PSDB) voltou a mencionar que fará uma gestão de parceria com o governo estadual em diferentes projetos. Mas que, caso seja eleita, será a responsável pelas ações do município. "O governo será o nosso parceiro, mas a prefeita será eu", disse a tucana.

Virou bordão – O candidato Adalton Garcia (PRTB) diz que está feliz pela repercussão de seus sete segundos no horário eleitoral, onde de chapéu ele diz que o tempo é curto e por isso vai atrás de voto. Como teve boa aceitação, usa a cena e o bordão em todas as reuniões e eventos que participa nesta campanha.

Sem ataques – Marquinhos Trad (PSD) reiterou, no evento do Conselho Municipal de Saúde, que ficou triste e chateado por ataques que vêm sofrendo na campanha, inclusive em entrevistas para a mídia. "Nao vou seguir o mesmo caminho, e sim continuar minha campanha sem ataques".

(com Leonardo Rocha e Mayara Bueno)

Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions