A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


06/06/2016 06:00

O fatídico domingo em que o filho da deputada ficou doente

Waldemar Gonçalves

SUS para quê? – “Mas, com tanto dinheiro, por que ela foi procurar atendimento no SUS?”. A pergunta, entre muitos comentários postados no Facebook, resume o sentimento de leitores sobre a confusão envolvendo a deputada estadual Grazielle Machado (PR), em plena tarde de domingo, na Santa Casa de Campo Grande, onde ela foi procurar atendimento médico para o filho, de apenas 1 ano. “Em tempos de eleição aparece de tudo”, comentou outro leitor.

Queremos mostrar – Se isto vale como explicação, segue trecho do que a deputada contou em vídeo no Facebook, em postagem patrocinada, feito na porta do PS da Santa Casa: “estamos aqui há alguns minutos esperando, vamos ver, quero ver de perto, estou aqui para mostrar quantos minutos nós estamos aqui, tem bastante gente esperando, vamos mostrar o atendimento daqui, hoje”.

Nervosismo e morte – O atendimento do pequeno Gabriel, de 1 ano, teve inclusive troca de agressões físicas na Santa Casa de Campo Grande, com as partes indo parar na polícia. Enquanto o marido estava na delegacia, Grazielle ficou na unidade de saúde. Ao Campo Grande News, se disse nervosa porque, não bastasse toda a confusão de ontem, já tinha perdido um filho naquele hospital. E o Gabriel? Até o fechamento desta coluna, a informação é de que ele passava bem e seu caso não é grave.

Sérgio & Carlos – O deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) gostou dos holofotes que ganhou por aparecer, em vídeo publicado na internet, cantando ao lado de Sérgio Reis e do presidente em exercício, Michel Temer (PMDB). Ontem, postou no Facebook outro vídeo, cantando “Chalana” com o sertanejo, na mesma noite. “Agora o Sérgio quer me contratar para cantar com ele... kkkkk...”, postou o parlamentar.

Delações perigosas – Recentes reportagens em veículos de comunicação nacionais sugerem que as delações premiadas dentro da Operação Lava Jato devem, nos próximos dias, atingir em cheio Dilma e Lula. Mais que isso, atacarão também o presidente em exercício, Michel Temer, as cúpulas do PMDB e do PSDB.

Lenha na fogueira – O andamento da Lava Jato deve colocar mais lenha na incendiada política nacional. De um lado, o PT e a estratégia de protelar o impeachment apostando no desgaste de Temer. Já os governistas veem mais munição à vista para abater de vez os petistas do poder.

Puxando a fila – E o que toda esta situação tem a ver com Mato Grosso do Sul? Basta lembrar que o primeiro a envolver Lula e Dilma no escândalo de desvio de dinheiro da Petrobras foi o ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS). A delação dele, ao que parece, puxa uma fila com consequências ainda imprevisíveis para todas as esferas do poder.

CPI da Vacina – Pré-candidato do PT à Prefeitura da Capital, o vereador Marcos Alex (PT) tentará, nesta semana, emplacar a CPI da Vacina, sobre problemas que a atual administração enfrentou, recentemente, em relação à vacinação contra a gripe. Garante já ter os nomes necessários para assinar o requerimento de abertura.

É dose – Em relação aos trabalhos da CPI, o petista detalha que o primeiro passo será ouvir as explicações do Executivo municipal sobre o sumiço de mais de três mil doses. Ele quer, inclusive, trazer representante do Instituto Butantan para explicar a alegação da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) de que alguns lotes teriam vindo incompletos.

Parabéns, prefeito – O presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador João Rocha (PSDB), se diz satisfeito com a retomada de obras paradas que foram visitadas pelos parlamentares nos últimos dois meses. “Que bom que a Câmara Comunitária andou pelos bairros e foi em cima das obras paradas. Precisamos mesmo disso, que o Executivo acabe com esses esqueletos pela cidade, concluindo as obras e entregando os serviços à população”.

(com a redação)

2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions