A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


22/12/2012 07:00

O último dia

A sessão de sexta (21) na Câmara Municipal foi marcada pelo tom de despedida. Homenagens, choro e abraços para os vereadores que não voltam à Casa no ano que vem. Tudo isso teve quase duas horas de duração. O discurso foi liderado pelo presidente do Legislativo Municipal, Paulo Siufi (PMDB). Ele ocupou a tribuna para liderar a solenidade e aproveitou para se despedir da presidência, já que abriu mão de concorrer à reeleição. A fala do peemedebista teve até fundo musical.


Pedido
Entre agradecimentos a servidores e vereadores, Siufi revelou que desistiu de disputar a presidência por pedido da família. “Minha filha disse que não queria mais um presidente e sim um pai. Isso mexe com a gente”.

Festa
O encerramento dos trabalhos na Câmara Municipal parecia um evento popular. Isso porque pelo menos três categorias acompanharam a votação de projetos atrelados a suas profissões. A cada aprovação, palmas e festa no plenário.

Retirada
O presidente da Câmara revelou ter retirado da pauta de votação da última sessão projeto de sua autoria que proibia uso de produtos derivados do fumo em áreas livres, como parques e praças.

Explicação
Segundo ele, a medida foi tomada porque não havia consenso em torno da proposta com os parlamentares. Além disso, o texto vai contra a outra lei, que proíbe o fumo em locais fechados. “Como médico, continuo favorável”.

Retrucando
O vereador Mário César respondeu à afirmação do prefeito eleito Alcides Bernal de que o reajuste no salário do chefe do Executivo Municipal beneficiaria seus colegas, auditores fiscais, que têm rendimentos atrelados ao do prefeito.

Retrucando 2
Ele defendeu que, em 22 anos de carreira na Receita Municipal, viu Campo Grande se desenvolver e atrair investimentos por causa da atuação da categoria. “Nosso trabalho é que vai custear todos os outros servidores”.

Defesa
César ainda justificou que, embora com os salários congelados desde 2006, não houve desmotivação no trabalho dos auditores, nem prejuízo de desempenho, já que os vencimentos da categoria são baseados no rendimento.

Emoção
Na quinta-feira, os Trad se reuniram para participar da noite que marcou a despedida de Nelsinho dos servidores e principais assessores da Prefeitura que comandou por 8 anos. A reunião familiar acontece no mesmo mês em que completa um ano da morte do patriarca, Nelson Trad, falecido em 7 de dezembro do ano passado. 

 

 

 

Após "perder" cargo, deputado muda o tom
Mudou – Antes cotado para assumir uma secretaria do governo do Estado, o deputado Coronel David (PSC) está agindo ultimamente como oposição ao Govern...
Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...


Esse mario Cesar é mesmo cara de pau, desde quando os outros servidores precisam do apoio dos auditores, há muito tempo outras categorias ganham somente um salário mínimo, qual melhoria que o mesmo está dizendo, só se for dos auditores.
 
Roberto Domingos em 23/12/2012 19:35:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions