A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


06/05/2015 06:00

Olarte e os problemas: base menor, CPI, greve e crise

Edivaldo Bitencourt

Guerra – O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), vai usar todas as armas disponíveis para impedir a greve dos médicos, que começa hoje. Sem dinheiro em caixa para dar reajuste e retomar o pagamento das gratificações, ele aposta na Justiça para que a paralisação não prejudique a população.

CPI – Numa semana tensa, com vários problemas, Olarte ganhou mais um com a criação da CPI das Contas Públicas. O risco é o mesmo de todas as investigações, sabe-se como vai começar, mas não o fim.

Base menor – A criação da CPI revelou que a base de Olarte ficou menor na Câmara Municipal. Chocolate (PP) e Eduardo Romero (PTdoB) anunciaram que vão adotar postura de independência no legislativo municipal.

Maioria - A debandada ainda não enfraqueceu o prefeito na Câmara Municipal. Oficialmente, Gilmar Olarte continua contando com o apoio de quase 20 vereadores. A oposição ainda segue restrita a seis parlamentares.

Crise – Os deputados estaduais não perdoaram a crise nas finanças do município e foram à tribuna para criticar Gilmar Olarte. Ele foi criticado pelos deputados estaduais Pedro Kemp, Amarildo Cruz, do PT, Marquinhos Trad e Antonieta Amorin, do PMDB, e Beto Pereira (PDT).

Menos – Líder do Governo na Assembleia, Professor Rinaldo Modesto (PSDB), atribuiu a crise na administração municipal à herança dos antecessores. Ele isentou Olarte de responsabilidade nos problemas, como o déficit nas contas públicas e o gasto excessivo com pessoal.

Mudança – O PSL definiu o nome do novo dirigente regional. Com a saída do ex-vereador Alceu Bueno, que renunciou ao mandato após ser indiciado por exploração sexual, a sigla vai ser comandada pela jornalista e decoradora, Anny Cristina Nascimento.

Posse – O advogado Yves Drosghic assume na sexta-feira, às 8h30, o cargo de superintendente regional de Trabalho e Emprego de Mato Grosso do Sul. Ele assume no lugar de Anízio Pereira Tiago. A indicação é do PDT, que conta com um deputado federal no Estado, Dagoberto Nogueira Filho.

Risco – O PDT discute o rompimento com o Governo Dilma Rousseff (PT). Se os pedetistas saírem da base aliada, o advogado vai ficar poucos dias no cargo. Até o presidente nacional da sigla, Carlos Lupi, defendeu o rompimento, e acusou o PT de roubar demais.

Ajuda – A Santa Casa de Campo Grande vem recorrendo a todos os “santos”. Na segunda-feira, a diretoria foi buscar apoio da bancada federal e se reuniu com o deputado federal Geraldo Resende (PMDB). Ontem, os dirigentes foram pedir o apoio da Câmara Municipal. O contrato vai até sexta-feira, mas ontem, o hospital já encerrou o atendimento ambulatorial pelo SUS.

(colaborou Lidiane Kober)

Vinda de Temer a MS atraiu poucos políticos
Recepção solitária – Programada em meio ao clima de tensão política sem fim em Brasília, a agenda do presidente Michel Temer em Mato Grosso do Sul no...
Crise da JBS rouba atenção de Temer
Foco na JBS - No Governo do Estado, a vinda do presidente Temer a Mato Grosso não teve a mobilização típica de visitas anteriores de presidentes. Na ...
Temer oscilou sobre decisão de vir para agenda em MS
Às pressas – A vinda do presidente Michel Temer para Mato Grosso do Sul neste sábado foi confirmada em cima da hora. A coluna apurou que tudo indicav...
Detran de MS avalia adesão a parcelar multa no cartão
Ainda não sabemos – O Detran de Mato Grosso do Sul avalia se vai fazer convênios que permitam parcelamento de multas no cartão de crédito. A autoriza...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions