A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


30/08/2014 07:00

Outra entidade contrata pesquisa sobre a sucessão estadual

Edivaldo Bitencourt

Setor – Os candidatos a governador começaram pela Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul) as entrevistas temáticas. Delcídio do Amaral (PT), Reinaldo Azambuja (PSDB) e Nelsinho Trad (PMDB) apresentaram as propostas voltadas para a indústria, setor que vem em ampla expansão no Estado.

Meta – A Fiems apresentou a mesma projeção para todos os candidatos: gerar 15 mil novos empregos em Mato Grosso do Sul. O setor deve ganhar novo gás com a inauguração das fábricas de fertilizantes, em Três Lagoas, e de celulose em Ribas do Rio Pardo.

Dilema – Os candidatos a governador devem resolver um grande gargalo no desenvolvimento econômico do Estado. A restrição a compra de terra por estrangeiros já comprometeu US$ 20 bilhões em investimentos. No entanto, a liberação depende de mudança na interpretação da lei de 1961 pela Advocacia Geral da União.

Agronegócio – O próximo compromisso dos candidatos a governador é com o agronegócio. Na segunda-feira, Delcídio, Reinaldo e Nelsinho vão passar pela sabatina dos produtores rurais e apresentar as propostas para a agricultura e pecuária.

- No caso do agronegócio, o agravante é o conflito entre produtores rurais e índios. Há cerca de 90 áreas em conflito no Estado. O Governo federal pode demarcar 39 novas áreas indígenas. O futuro governador pode intermediar uma solução pacífica e que acabe de vez com a guerra no campo.

Sangue – A disputa por terras entre índios e produtores já terminou em mortes em várias ocasiões. A primeira a ter repercussão internacional foi a de Marçal de Souza, em Antônio João. A última foi a do índio Oziel Gabriel, em Sidrolândia, em maio do ano passado.

Tempo quente – Já os confrontos não terminam. O último ocorreu quinta-feira em Sidrolândia, quando índios reagiram ao boato de um suposto sequestro e invadiram uma fazenda, onde atearam fogo às casas. A briga segue porque o Governo federal promete resolver o impasse, mas as negociações já completaram um ano sem qualquer sinal de solução.

Justiça – A guerra eleitoral esquentou nesta semana com novas decisões da Justiça Eleitoral. PMDB, PSDB e PT não economizam com advogados para questionar o adversário no Tribunal Regional Eleitoral. E os magistrados não estão tendo muito tempo de descanso desde o início do horário eleitoral na TV.

Sem chance – O candidato a presidente da República, Aécio Neves (PSDB), não terá palanque duplo no Estado. Ontem, Nelsinho Trad descartou apoiar o tucano nas eleições deste ano. Ele frisou que mantém o apoio à candidata do PSB, Marina Silva.

Pesquisa – A Famasul também vai fazer pesquisa sobre as eleições deste ano. Conforme o Tribunal Superior Eleitoral, a entidade vai pagar R$ 50 mil para a ST Pesquisa de Mercado sondar as intenções de voto do sul-mato-grossense para senador, governador e presidente da República. O resultado será divulgado na terça-feira (3).

(colaborou Kleber Clajus)

Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions