A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 25 de Abril de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


29/10/2016 07:00

Passagem de ônibus não vai aumentar, mas vai subir

Waldemar Gonçalves

Não aumenta, mas sobe – Não vai aumentar, mas vai subir. É mais ou menos esta a explicação da Prefeitura em relação ao preço da tarifa do transporte coletivo. Ou seja, a passagem não terá aumento real, mas será reajustada dentro dos percentuais da inflação.

Em novembro – A confirmação vem da Agereg (Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos Delegados). O índice, no entanto, ainda não foi fechado, mas a presidente da agência, Ritva Vieira, afirma que a definição deve ocorrer até 11 de novembro.

Percentual – Atualmente, a passagem custa R$ 3,25 e poderá sofrer reajuste de até 8,78%, se for levado em conta o percentual correspondente à inflação acumulada no ano, calculado pelo IPCA-E (Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial) e divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Viagem monitorada – De tornozeleiras eletrônicas, Gilmar e Andreia Olarte devem viajar para São Paulo (SP). A defesa do casal pediu autorização à Justiça para que eles pudessem sair de Campo Grande rumo a uma reunião de trabalho.

Novos investimentos? – Ao que tudo indica, os dois estão investindo na Casa da Esteticista, loja localizada no Centro de Campo Grande. Os advogados informaram ao juiz que o casal tem um encontro com o representante de uma indústria de cosméticos.

Mudança de data – A viagem seria nesta sexta-feira (28) e estava autorizada. Mas, segundo a defesa, a reunião foi remarcada para o dia 7. Agora, falta o juiz Roberto Ferreira Fialho Filho autorizar a saída em nova data.

Denúncias na web – De 16 de agosto até esta sexta-feira (28), o TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) recebeu pelo Web Denúncia, 1.089 reclamações sobre crimes eleitorais, média de 14 por dia. Compra de voto é a principal reclamação.

Sem ‘timing’ – Mesmo com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, prometendo que revogará exigência de que casas subsidiadas pelo Minha Casa, Minha Vida sejam construídas somente em ruas já asfaltadas, a Câmara Municipal de Campo Grande vai realizar, na próxima sexta-feira (04), audiência pública para discutir a portaria com a restrição, datada de maio.

Protesto – A audiência foi marcada na terça-feira (25), quando houve protesto de profissionais da construção civil no plenário da casa. O coordenador da manifestação falou no plenário a convite do vereador Herculano Borges (SD), que não poderá estar presente na audiência.

Nobreza – Ao informar que estará ausente devido a compromissos com o partido, o presidente da casa, vereador João Rocha (PSDB), disse que Herculano agia com a “nobreza de um verdadeiro homem público”, pois poderia sugerir mudança na data do compromisso.

(com Leonardo Rocha, Richelieu de Carlo e Mayara Bueno)

Câmara fria, geladeira e o veto mantido
Tempo real – Valdir Gomes (Progressistas) anunciou no microfone da Câmara ter mudado de posição na discussão sobre o veto ao projeto que exige cobert...
Líder do PCC “sobrou” em presídio
Desarticulação? – Na semana passada, a transferência de seis lideranças do PCC (Primeiro Comando da Capital) da PED (Penitenciária Estadual de Dourad...
Sucessor de Odilon corre dos holofotes
Opostos - Bem diferente do antecessor, o juiz federal Bruno Cezar da Cunha Teixeira faz questão de se esconder dos holofotes. Procurado com insistênc...
Beira-Mar será ouvido em ação de MS
Testemunha - Sete anos depois de deixar Campo Grande, onde passou temporada de 5 anos, entre 2007 e 2011, o homem que já foi considerado um dos maior...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions