ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 13º

Jogo Aberto

Prefeitos podem endurecer ainda mais medidas restritivas

Por Marta Ferreira | 25/03/2021 06:00
Rua 14 de Julho vazia em Campo Grande, que adotou fechamento de setores não essenciais para frear a covid-19. (Foto: Paulo Francis)
Rua 14 de Julho vazia em Campo Grande, que adotou fechamento de setores não essenciais para frear a covid-19. (Foto: Paulo Francis)

Orientação – A Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) ficou satisfeita com o conteúdo do decreto do governo do Estado impondo medidas ainda mais rígidas em todos os 79 municípios contra o contágio pelo novo coronavírus, em estágio de descontrole no País. Ainda assim, a entidade recomendou a prefeitos das cidades pior situação que tomem suas próprias providências.

Pode  - O documento editado pela administração estadual traz a possiblidade de prefeituras fazerem regras mais restritivas ainda, como já ocorre em Campo Grande. A lista das cidades consideradas com maior risco de infecção traz a Capital, Costa Rica, Bela Vista e Aral Moreira.

E feriado ? Há prefeitos que defendiam a adoção de antecipação de feriado estadual, inclusive Campo Grande, que criou dias de folga com antecipação dos dias de Santo Antônio e Aniversário deste e do ano que  vem. Essa ideia não vingou, mas não há impedimento, por exemplo, de que seja feito em âmbito municipal.

Não para – A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul lamentou ontem mais uma perda para a pandemia. O delegado aposentado Luiz Sérgio da Silva, de 55 anos, morreu em decorrênca do víus. Ele havia se aposentado em 2017.

Tristeza repetida –  Assim como a tragédia provocada pela covid-19 em incontáveis famílias, Luiz Sérgio morreu um mês depois do pai, vítima da mesma causa. Estava em Curitiba (PR), para acompanhar o tratamento.

 Isolado – Também delegado, o secretário Antônio Carlos Videira testou positivo o vírus. Está em home care, com suporte de oxigeno, para superar os reflexos da enfermidae. segundo a apuração da coluna.

Apareceu – Depois de se retirar da defesa do serial killer Cleber de Souza Carvalho, o advogado Jean Cabreira “reapareceu” com outra causa complexa. Representa o namorado da professora deixada baleada na frente do hospital da Cassems no dia 22 de fevereiro, e que acabou morrendo no sábado.

 Explica – Cabreira, aliás, tem compromisso com a Justiça hoje. Está convocado para audiência no juizado especial criminal sobre acusação que proferiu contra o delegado Carlos Delano, responsável por tocar as investigações contra o ex-cliente por 7 homicídios confessados.  Em entrevista a jornalistas, o defensor chegou a dizer que o assassino foi torturado. Por isso, é alvo de processo por calúnia.

 Esperando – Pâmela Ortiz, 37 anos, condenada pelo crime conhecido como           “Táxi da Vovó”, segue presa em Corumbá, distante mais de 200 km da família, que vive em Rio Negro. Ela tenta desde setembro do ano passado ser transferida para São Gabriel do Oeste.

 Cadê a resposta – No dia primeiro de março, ofício anexado ao pedido de providências de Pâmela pede informações ao sistema penitenciário estadual sobre a abertura de vaga no presídio para onde ela quer ir. Até ontem, não havia retorno.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário