A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Agosto de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


28/12/2016 06:00

Prefeitos veteranos darão 'aula' à equipe de Marquinhos

Waldemar Gonçalves

Aula dos veteranos – Juvêncio César da Fonseca e Levy Dias, ex-prefeitos veteranos – ambos com dois mandatos, respectivamente 86-88 e 93-97; e 73-77 e 80-82 – se juntam a André Puccinelli (PMDB) e Nelsinho Trad (PTB), que também administraram a cidade em duas ocasiões cada (97-05 e 05-12), em evento com o secretariado de Marquinhos Trad (PSD) no Hotel do Lago, hoje. Falarão sobre suas experiências no comando de Campo Grande.

Nostalgia – A poucos dias do fim do mandato, o prefeito Alcides Bernal (PP) parece nostálgico. Republicou ontem postagem de 27 de dezembro de 2013, em que comemorava a antecipação do pagamento dos salários dos servidores municipais naquele ano. Também convidava as pessoas a aproveitarem a programação da Cidade do Natal.

Realidade – Este ano a situação foi bem diferente, a Cidade do Natal não teve evento algum, o pagamento do 13º dos servidores foi parcelado para alguns e está pendente para outros. E o salário de dezembro do funcionalismo, a ser pago em janeiro, é uma incógnita.

Outra – Mais uma empresa está impedida de contratar com o governo de Mato Grosso do Sul por pelo menos um ano. A penalidade, divulgada ontem, deve-se ao total descumprimento, por parte da Ello Construtora e Serviços Ltda, em construir ponte de concreto armado sobre o Rio Guiraí, em Novo Horizonte do Sul, a 329 km de Campo Grande.

Prejuízo – A empresa receberia R$ 1,5 milhão para fazer a obra. Por não ter cumprido o prazo para assinatura do contrato, além de ficar impedida de contratar, terá de pagar R$ 77 mil em multa.

Novo calote? – Caso o prefeito Alcides Bernal (PP) não pague os R$ 4 milhões empenhados correspondentes a 67 projetos financiados por fundos culturais, o setor pode ficar sem receber também da próxima administração de Campo Grande.

No papel – Devido ao fato de os projetos constarem apenas em edital e não terem sido “executados”, não haveria obrigação do próximo prefeito de fazer o pagamento. “Se não foi executado o serviço, não é devido”, disse ao Campo Grande News Pedro Pedrossian Neto, secretário de Finanças de Marquinhos Trad (PSD).

Caso especial – Entretanto, Pedrossian afirma que esta é uma situação especial, pois existe legislação específica para a Cultura que deve ser analisada pela procuradoria de Marquinhos. “Vai depender de como a equipe do Bernal vai classificar essa despesa nos restos a pagar. Até lá, temos que aguardar”, explicou.

Sem conflitos – O futuro secretário de Marquinhos também faz questão de ressaltar que não pretende ter conflitos com representantes culturais. “Queremos olhar daqui para frente e refazer um pacto com o setor da Cultura”, garante Pedrossian.

Amizade antiga – A amizade de mais de 30 anos rende frutos a Luiza Ribeiro. Trabalhará ao lado do amigo Roberto Freire, presidente nacional do PPS e atualmente ministro da Cultura do governo de Michel Temer (PMDB). Ela, inclusive, já está em Brasília (DF).

(com Alberto Dias, Mayara Bueno e Richelieu de Carlo)

Rotatória da Coca-Cola e a falta de educação
Boca-suja– O diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Trânsito), Janine de Lima Bruno, contou nesta semana que mudanças na confluência ent...
MDB teve divisões sobre Mochi candidato
Opinião – O deputado Eduardo Rocha (MDB) admite que a escolha de Junior Mochi para candidato na legenda não teve consenso desde o início, após a desi...
Senador critica "descaso" com Paraguai
Vizinho desprestigiado – O ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo, e o senador Pedro Chaves (PRB/MS) foram os dois únicos representantes de ...
Campanha tucana atrai 75% dos prefeitos
Apoio – Enquanto o MDB, antigo aliado histórico do PSDB, patinou para fechar sua candidatura do governo do Estado, os tucanos contabilizam adesões. N...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions