A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 15 de Outubro de 2019


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


03/10/2019 06:00

Reunião discute segurança de delegados

Ângela Kempfer e Marta Ferreira
Apreensão de arsenal que seria da família Name deu início à investigação no Garras sobre milícia armada. Na foto, os delegados responsáveis pela ação, João Paulo Sartori e Fábio Peró. (Foto: Arquivo) Apreensão de arsenal que seria da família Name deu início à investigação no Garras sobre milícia armada. Na foto, os delegados responsáveis pela ação, João Paulo Sartori e Fábio Peró. (Foto: Arquivo)

Providências - As ameaças feitas por integrantes de grupo de extermínio em Campo Grande contra o delegado Fábio Peró, titular do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assalto e Sequestro), que investigou grupo suspeito de execuções na cidade, serão investigadas pela Polícia Civil. De Brasília, onde estava nesta quarta-feira (2) o delegado-geral, Marcelo Vargas Lopes, disse retorna hoje e vai marcar reunião para ter outros detalhes sobre o caso.

Risco inerente - “É uma atividade de risco que já importa nessas consequências, mas ele [delegado] tem toda a estrutura [da polícia] à disposição dele”, comentou. Segundo Vargas, na reunião prevista devem definir quais ações serão tomadas sobre o assunto. “Não só em relação a segurança dele, mas tomada de providências com referência à ameaça. Se existiu vamos instaurar procedimento próprio para apurar esses fatos”, finalizou.

Melhor não - Os promotores do Gaeco(Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) foram procurados pelo Campo Grande News para falar sobre as investigações que levaram à prisão dos empresários Jamil Name e Jamil Name Filho, suspeitos de chefiar um grupo de extermínio com mais 18 pessoas, mas preferiram, por ora, não se manifestar. A alegação é de que o silêncio, no momento, preserva as investigações. 

"Vai mudar" - Instado a comentar o envolvimento de 7 guardas civis municipais com a organização criminosa apontada como responsável por ao menos 8 mortes em dez anos, o secretário especial de Segurança e Defesa Social de Campo Grande, Valério Azambuja, ex-policial federal aposentado, admitiu que o salário baixo, em torno de R$ 1,5 mil segundo ele, deixa os agentes vulneráveis ao assédio do crime. E previu que a aplicação do plano de cargos e carreiras, a partir de 2020, vai contribuir para mudança desse quadro.

Salário e condições - Conforme o secretário, a partir do ano que vem, o vencimento "vai dobrar", com as alterações feitas. Na visão dele, com remuneração melhor e mais condições de trabalho, incluindo equipamentos novos e mais veículos, além de capacitação, fica mais fácil ter uma tropa menos suscetível às ofertas de trabalhos ilegais.

Na Capital - O deputado Pedro Kemp (PT) esteve no Hospital Regional de Campo Grande para verificar a situação financeira do local, após audiência pública na Assembleia. O petista disse que recebeu boas notícias da direção. Segundo ele, a unidade deve equilibrar as contas até o final do ano, já que teve um acréscimo no orçamento. "Posso dizer que sai satisfeito do local, após recebermos notícias que não eram tão positivas".

No Sul... - Já no Hospital Regional de Dourados, a situação continua mal, diz o deputado José Carlos Barbosa (DEM). “Não basta apenas aumento de recursos por parte do Estado. Temos que fazer uma análise técnica e crítica sobre a situação ", disse o democrata, que é líder do Governo.

Arrastão - O Procon promete um “arrastão de orientações” nesta quinta-feira. O órgão quer sensibilizar micro e pequenos comerciantes do Centro sobre o Programa “Procon Legal, Comércio Legal”, criado para melhor a relação com os clientes.

Sem multa - O principal ponto a ser visitado é a Rua 14 de Julho, mas o Procon garante que não há motivo para preocupação. “A ação não tem objetivo de fiscalizar, somente de orientar, divulgou o Procon.

Reparos - O governador Reinaldo Azambuja sancionou ontem lei que obriga concessionárias de energia, de água, empresas de internet ou telefonia a repassarem aos clientes, antes da visita, a identidade do funcionário que vai realizar o trabalho. A informação deve chegar até 1h antes do serviço.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions