ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  20    CAMPO GRANDE 32º

Jogo Aberto

Sem deputados investigados, 3 formam comissão sobre TCE

Por Fernanda Palheta | 24/05/2024 06:00
Coronel David (PL) Lia Nogueira (PSDB) Antônio Vaz (Republicanos).
Coronel David (PL) Lia Nogueira (PSDB) Antônio Vaz (Republicanos).

Tô dentro - A Presidência da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul formou a comissão que irá acompanhar a investigação contra 3 conselheiros afastados do TCE (Tribunal de Contas do Estado). O grupo será formado pelos deputados Coronel David (PL) Lia Nogueira (PSDB) Antônio Vaz (Republicanos). Esse assunto já gerou troca de alfinetadas entre deputados e advogado de defesa de um dos conselheiros investigados.

Tô fora - O Legislativo criou a comissão temporária a pedido de 16 parlamentares e a defesa do conselheiro Waldir Neves respondeu defendendo que o grupo investigasse também deputados que foram alvos de operações policiais e denunciados pelo Ministério Público Estados, como Roberto Razuk Filho (PL) e Jamilson Name (PSDB). Os dois assinaram o documento com pedido de formação do grupo de acompanhamento, mas não vão compor a comissão.

Acelerando - Segundo a Assembleia, os três escolhidos terão como missão "acompanhar as investigações em curso e eventual processo judicial, além de discutir e avaliar as alternativas para a resolução do impasse gerado em razão dos afastamentos" dos conselheiros Waldir Neves, Ronaldo Chadid e Iran Coelho. Os 3 estão fora desde dezembro de 2022, depois da operação Terceirização de Ouro, que apura licitações fraudulentas no Tribunal.

Toma que é tua - Reviravolta sobre a vaga de vereador na Câmara Municipal foi comemorada pelos dirigentes tucanos no fim da tarde de ontem. A Justiça anulou a posse de Lívio Leite (União Brasil) e devolveu a cadeira ao PSDB. Acompanhando o governador Eduardo Riedel em viagem à região sul do Estado, o presidente estadual do partido, ex-governador Reinaldo Azambuja, foi avisado pelo advogado doo PSDB assim que a decisão saiu, e não escondeu a satisfação com a vitória.

Bate-boca - Se na Assembleia Legislativa quem tira os colegas do sério é João Henrique Catan (PL), na Câmara esse papel é muito bem exercido pelo vereador Thiago Vargas (PP). Durante sessão de quinta-feira (23), ele fez um discurso inflamado dando a entender que os colegas votariam contra projetos enviados pela prefeitura, criando referências de cargos na tabela de servidores da Semed (Secretaria de Educação) e adicional extra para os agentes de saúde e de combate a endemias.

Do nada - Ninguém havia se manifestado de forma contrária aos projetos, mas o progressista disse que quem votasse contra estaria "fazendo politicagem". A vereadora Luíza Ribeiro (PT) não deixou passar e ironizou: "Agora temos que votar contra, depois de um discurso desse" e reclamou que os vereadores não eram "moleques para serem tratados dessa forma" pelo colega.

Deixa disso - O presidente da Casa de Leis, Carlos Augusto Borges, o "Carlão" (PSB), teve que intervir no bate-boca e seguranças da Câmara Municipal chegaram a se aproximar, quando Tiago reagiu a vereadora, mas a discussão terminou e no fim todos votaram a favor dos projetos.

Tempo perdido - Depois de muita discussão desnecessária, já que não havia resistência à nada, o vereador Epaminondas Neto, o "Papy" (PSDB), não se esqueceu de cutucar Tiago, de leve. "É incoerente também o discurso do Tiago que eu vi o meu colega aqui, amigo querido, bolsonarista, defender o sindicato e dizer que aqueles que votaram 'sim' são politiqueiros. Ora, olha o painel, 100% de 'sim'", disse.

Só faltava essa - O esporte que virou modinha em Campo Grande agora pode ganhar data estadual. A Assembleia estuda a criação do "Dia do Beach Tennis" em Mato Grosso do Sul. A ideia partiu do deputado Lucas de Lima (PDT) e o dia escolhido é 27 de agosto.

Excluídos - Coordenador da bancada do Mato Grosso do Sul, o deputado federal Vander Loubet (PT) reclamou após a exclusão de deputados do Norte e do Centro-Oeste dos grupos de discussão da reforma tributária. Não há nenhum parlamentar dessas regiões chamados para essas comissões. “Não sei qual foi o critério, mas não dá para o Centro-Oeste ficar de fora da discussão e ser prejudicado. Não dá para vir um trator passando por cima da gente”, protestou.

Nos siga no Google Notícias