A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


31/05/2013 06:06

Trapalhada e morte

.

Guerrilha - Na desocupação da fazenda Buriti, em Sidrolândia, os únicos organizados pareciam os índios. Tiraram as crianças da fazenda na noite anterior, reservaram combustível suficiente para destruir a sede da propriedade e ainda providenciaram sozinhos socorro para os feridos.

Batendo cabeça - Já Polícia Federal e Polícia Militar se confundiram ao ponto de uma jogar para cima da outra a responsabilidade pela morte o terena Oziel Gabriel. Também deixaram uma equipe de TV entrar na área de conflito, mas depois ainda meteram bala de borracha na cabeça de um cinegrafista.

Para bom entendedor - Em nota oficial divulgada na TV, o Governo do Estado fez questão de frisar várias vezes que a PM não usa armas letais em desocupações. Ou seja, sobrou para a Polícia Federal a suspeita de execução. O clima entre Cigcoe e PF para que não vai ser mais tão harmônico de agora em diante,  

Bem longe - Isso sem falar do Cimi, que nem sequer apareceu por lá na hora do aperto. Mesmo sabendo desde quarta-feira da ordem de reintegração de posse, o Conselho não se dignou a madrugar na área para estar ao lado dos índios na resistência. Lá pelas 10 horas da manhã comunicaram que iriam enviar alguém.

Aproveitadores - Depois do estrago feito, o que não faltou foi nota de entidades, parlamentares e Direitos Humanos em apoio aos índios. A Famasul e Acrissul, que dia desses andavam concorrendo com os números de notas de repúdio por conta da demora na reintegração, ontem ficaram quietinhas. Só informaram que não iria comentar o assunto.

Faz tempo - O Jogo Aberto já anunciou há semanas a falta de pagamento dos músicos do projeto Só Rock no Horto, mas pelo jeito a questão não foi resolvida. O vereador Chiquinho Telles (PSD) apresentou requerimento para que seja enviado ofício a Fundac para informações sobre o calote. Pior, segundo ele, a divida com cada uma das bandas é de R$ 1 mil para serem divididos em quatro ou até cinco músicos. 

Otimista - Já o deputado Eduardo Rocha agora quer auxílio financeiro para garantir tratamento para dependentes químicos. Em um Estado sem o básico nesse quesito, como leitos para internação de pessoas com esse tipo de problema, ele é otimista e encaminhou indicação à Secretária de Estado de Trabalho e Assistência Social, para a criação um programa de transferência de recursos financeiros às famílias.

Opostos - A Fetems divulgou novo ranking dos salários dos professores em Mato Grosso do Sul. Corumbá é a que aparece melhor na fita. Está em primeiro lugar com um piso salarial de R$ 2456,00 e ainda com 1/3 de hora-atividade. Já na lanterninha está Corguinho, com remuneração de R$ 1214,00 de piso. 

 

Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...
PMs presos têm “festival de ações”
Conhecidos da justiça - Entre as duas dezenas de policiais militares de Mato Grosso do Sul presos esta semana por suspeita de facilitar a vida dos co...
O entrave no cadastro de pedófilos
Entrave burocrático – Autor do projeto de lei que criou o cadastro de pedófilos em Mato Grosso do Sul, o ex-deputado estadual Carlos Alberto David, d...


“O Brasil precisa viver o império da lei”. Ninguém está acima dela. Nem índios, nem os órgãos públicos e suas autoridades. Ninguém tem o direito de esbulhar, invadir, turbar, furtar, apropriar-se indevidamente, locupletar-se, corromper e ser corrompido. Diz a lei brasileira
Código Civil - Lei 10406/02
Art. 1.210. O possuidor tem direito a ser mantido na posse em caso de turbação, restituído no de esbulho, e segurado de violência iminente, se tiver justo receio de ser molestado.
§ 1o O possuidor turbado, ou esbulhado, poderá manter-se ou restituir-se por sua própria força, contanto que o faça logo; os atos de defesa, ou de desforço, não podem ir além do indispensável à manutenção, ou restituição da posse.
É só aplicar a lei. O resto é incompetência e letargia do Estado.

 
Marco Aurélio Gonçalves Chaves em 31/05/2013 22:13:28
Nunca entendi o porque de a Policia Federal que deveria cumprir a reintegração de posse determinada pela Justiça Federal, se utilizar da Tropa Estadual para essas operações. Não dizem sempre que são a melhor policia do pais e a mais bem preparada? Ou é falta de efetivo, já que parece que as fronteiras com a Africa são mais bem cuidadas, ou é falta de treinamento. Pode ser também falta de planejamento, pois pelo que todos sabem a Policia Federal mantém um grupo especializado em Brasília, o Comando de Operações Táticas - COT, que possui um setor especializado em Controle de Distúrbios Civis - CDC. Tomara que a ordem do Ministro de apurar com rigor, determine não só o culpado pelo tiro que tirou a vida de uma pessoa, assim como quem deixou que tal fato ocorresse pela omissão.
 
Paulo Coelho em 31/05/2013 07:38:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions