ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 21º

Jogo Aberto

Trapalhada e morte

Por . | 31/05/2013 06:06

Guerrilha - Na desocupação da fazenda Buriti, em Sidrolândia, os únicos organizados pareciam os índios. Tiraram as crianças da fazenda na noite anterior, reservaram combustível suficiente para destruir a sede da propriedade e ainda providenciaram sozinhos socorro para os feridos.

Batendo cabeça - Já Polícia Federal e Polícia Militar se confundiram ao ponto de uma jogar para cima da outra a responsabilidade pela morte o terena Oziel Gabriel. Também deixaram uma equipe de TV entrar na área de conflito, mas depois ainda meteram bala de borracha na cabeça de um cinegrafista.

Para bom entendedor - Em nota oficial divulgada na TV, o Governo do Estado fez questão de frisar várias vezes que a PM não usa armas letais em desocupações. Ou seja, sobrou para a Polícia Federal a suspeita de execução. O clima entre Cigcoe e PF para que não vai ser mais tão harmônico de agora em diante,

Bem longe - Isso sem falar do Cimi, que nem sequer apareceu por lá na hora do aperto. Mesmo sabendo desde quarta-feira da ordem de reintegração de posse, o Conselho não se dignou a madrugar na área para estar ao lado dos índios na resistência. Lá pelas 10 horas da manhã comunicaram que iriam enviar alguém.

Aproveitadores - Depois do estrago feito, o que não faltou foi nota de entidades, parlamentares e Direitos Humanos em apoio aos índios. A Famasul e Acrissul, que dia desses andavam concorrendo com os números de notas de repúdio por conta da demora na reintegração, ontem ficaram quietinhas. Só informaram que não iria comentar o assunto.

Faz tempo - O Jogo Aberto já anunciou há semanas a falta de pagamento dos músicos do projeto Só Rock no Horto, mas pelo jeito a questão não foi resolvida. O vereador Chiquinho Telles (PSD) apresentou requerimento para que seja enviado ofício a Fundac para informações sobre o calote. Pior, segundo ele, a divida com cada uma das bandas é de R$ 1 mil para serem divididos em quatro ou até cinco músicos. 

Otimista - Já o deputado Eduardo Rocha agora quer auxílio financeiro para garantir tratamento para dependentes químicos. Em um Estado sem o básico nesse quesito, como leitos para internação de pessoas com esse tipo de problema, ele é otimista e encaminhou indicação à Secretária de Estado de Trabalho e Assistência Social, para a criação um programa de transferência de recursos financeiros às famílias.

Opostos - A Fetems divulgou novo ranking dos salários dos professores em Mato Grosso do Sul. Corumbá é a que aparece melhor na fita. Está em primeiro lugar com um piso salarial de R$ 2456,00 e ainda com 1/3 de hora-atividade. Já na lanterninha está Corguinho, com remuneração de R$ 1214,00 de piso. 

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário