ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 20º

Jogo Aberto

Vereador perde 17 quilos após apoiar Bernal

Por Edivaldo Bitencourt | 06/02/2014 06:00

Troca de comando – O PSD trocou a liderança na Câmara Municipal de Campo Grande. Sai Chiquinho Telles e entra Ademar Vieira, o Coringa. A justificativa para a alteração, de acordo com Telles, é “por interesse do partido”.

Outra história – O vereador Coringa procurou capitalizar a substituição feita de forma burocrática. Assessoria ligou para a redação e disse que a indicação ocorreu por “reconhecimento ao trabalho realizado” pelo parlamentar estreante no ano passado.

Cordeirinho – Para o petista Ayrton Araújo (PT), os vereadores-candidatos devem pegar “mais leve” com Bernal neste ano, principalmente entre os que ficaram mais em evidência como Mario Cesar (PMDB). “Quando precisa de voto do povo vira cordeirinho”, explica Ayrton.

Mais esbelto – A mudança de oposição para situação fez bem ao vereador Paulo Pedra (PDT). Ele, que perdeu 17 quilos no recesso, já faz até apelo para que os chargistas reduzam sua circunferência nas ilustrações. Pedra tem até estranhado o tamanho dos ternos e diz que a redução de peso é resultado de malhação, caminhada e reeducação alimentar, iniciadas em maio do ano passado.

Cavalo arriado – O pedetista também pretende não perder nenhuma oportunidade na corrida eleitoral de 2014. “Não gostaria (de sair candidato), mas se o cavalo estiver arriado eu monto”, garante. Pedra pode ser candidato a deputado estadual para reforçar a chapa a deputado federal de Dagoberto Nogueira Filho.

Vergonha – A vereadora Rose Modesto (PSDB), que é professora, destacou que ficou envergonhada com o tratamento dispensado por Bernal aos docentes. Ela criticou a forma como foi feito o cadastro dos temporários. Sem condições de preencher o quadro, o secretário municipal de Educação, José Chadid, recuou e pediu aos diretores para encontrarem os cerca de 2 mil temporários em regime de urgência.

Distintos - O deputado Márcio Monteiro (PSDB) afirmou que o programa político do PSDB é distinto do PMDB, já que ele está há mais tempo em atividades e quer fazer um diagnóstico detalhado de cada região do Estado. O PMDB já tem os dados do planejamento feito pelo governo estadual e deve focar na divulgação dos "feitos" do governo André Puccinelli (PMDB). "Esperamos ouvir até 100 mil pessoas, eles vão usar outro critério".

Vontade - Eduardo Rocha afirmou que Simone Tebet não pensa em disputar ou ficar em outra função além de ser candidata a senadora. Se não viabilizar a candidatura no PMDB, ela conclui o mandato, que pode ser como governadora, e volta para casa.

Comissões - Em relação a formação das comissões parlamentares na Assembleia, houve apenas uma alteração,a entrada do deputado Cabo Almi (PT) no lugar de Amarildo Cruz (PT) na Comissão de Constituição e Justiça, a mais requisitada da Casa. Marquinhos Trad (PMDB) deve continuar presidindo os trabalhos do grupo.

Líderes - O PMDB continuou com seu líder Eduardo Rocha, já o PT em sistema de rodízio indicou Amarildo Cruz (PT), no PSDB o novo comandante é Onevan de Matos, enquanto que no PDT, mudou para George Takimoto. No PT do B fica Márcio Fernandes, e no PR o líder da bancada será Paulo Corrêa. O PROS deve permanecer sendo Lauro Davi, enquanto que o PEN e o DEM só tem um representante, Lídio Lopes e Zé Teixeira.

(colaboraram Leonardo Rocha e Kleber Clajus)

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário