ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, TERÇA  01    CAMPO GRANDE 31º

Arquitetura

Menina dos olhos de Delinha, velha casinha ganhou “cara nova”

Não é à toa que a canção de mesmo nome faz homenagem à residência oficial da Dama do Rasqueado – que acaba de ganhar pintura nova

Por Raul Delvizio | 13/10/2020 08:49
Confira a Galeria de Imagens:
Delinha posa na janela da velha casinha. "Moro aqui desde meus 8 anos de idade" (Foto: Arquivo Pessoal)
Delinha posa na janela da velha casinha. "Moro aqui desde meus 8 anos de idade" (Foto: Arquivo Pessoal)

“[Um dia] eu vou e você continua, sempre [aqui] na mesma rua”. Lá no bairro Amambaí, a tal da velha casinha de Delinha – a incomportável Dama do Rasqueado – recebeu cara nova. Com pintura de bege claro nas paredes de tábua e verdinho nos muros de alvenaria, a moradia onde a senhora viveu toda sua infância rejuvenesceu como nos tempos de outrora.

“Tá bonito demais! Ficou com outra ‘estampa’, os muros, os pedaços feios, tudo foi arrumado. O povo fez certinho. Essa novidade é uma beleza, e eu estou muito contente com isso”, comentou Delinha, proprietária do imóvel que estava a mais de 30 anos sem "reforma".

Muro da fachada foi pintada de verdinho claro. "Não gosto de cor escura", afirmou Delinha (Foto: Arquivo Pessoal)
Muro da fachada foi pintada de verdinho claro. "Não gosto de cor escura", afirmou Delinha (Foto: Arquivo Pessoal)
Já o exterior da casa de tábua de madeira ficou completamente renovada (Foto: Arquivo Pessoal)
Já o exterior da casa de tábua de madeira ficou completamente renovada (Foto: Arquivo Pessoal)

A história da pintura é a seguinte: após postagem na página do Facebook da Dama do Rasqueado em que a artista se encontrava em sua casa, a pintora profissional Lia Ferreira conferiu as imagens e resolveu garantir uma ação social para a senhorinha de 84 anos.

Com doação de material por marcas parceiras, já era a hora das mãos à obra. Cerca de 15 voluntários participaram do trabalho, que percorreu a manhã do dia de ontem (12) até noitinha. Mas isso só com a devida autorização de Delinha.

“A velha casinha é minha menina dos olhos, pois me encontro aqui desde os 8 anos. Não é coisa de ciumeira, é de apego mesmo, desde a época de papai e mamãe. A Lia veio aqui conversar comigo, explicou que a pintura seria só na parte externa, então aceitei”.

Voluntários durante o trabalho da ação social (Foto: Arquivo Pessoal)
Voluntários durante o trabalho da ação social (Foto: Arquivo Pessoal)
A cor laranja das tábuas deu lugar ao bege claro (Foto: Arquivo Pessoal)
A cor laranja das tábuas deu lugar ao bege claro (Foto: Arquivo Pessoal)

A campanha encabeçada por Lia faz parte do movimento “Brasil por um Pintor Melhor” junto ao “Pintores do MS”, o qual foi a primeira iniciativa desse grupo de WhatsApp para o Dia do Pintor, no próximo dia 18.

“Essa ação na casa da Delinha veio como uma forma de comemorar fazendo uma atitude do bem, com aquilo que a gente faz no dia a dia para ganhar o nosso pão: pintando. Doamos nosso tempo e serviço para deixar a vida dela mais alegre e a residência mais bonita”, explica.

Para evitar aglomeração e risco de contágio pela covid-19, a Dama do Rasqueado não ficou presente na casa durante as horas de trabalho. Para o feriadão da padroeira do Brasil, Delinha conta que “teve um dia de patroa”.

Ao centro e de branco, Lia Ferreira posa junto aos participantes da campanha na velha casinha (Foto: Arquivo Pessoal)
Ao centro e de branco, Lia Ferreira posa junto aos participantes da campanha na velha casinha (Foto: Arquivo Pessoal)

“Aproveitei o dia tomando um uisquinho com uma amiga. Conversamos tudo o que tinha direito, mas só fiquei sentada. Hoje estou mais cansada do que ontem, e olha que eu acordo todos os dias cedo para cuidar da casa que tanto amo”, afirmou.

Assim como a mãe, João Paulo Pompeu morou ali praticamente a vida inteira. Sobre a doação de pintura, disse que veio na hora certa.

“Eu até já estava pensando um dar jeito de pintar a casa, mas aí veio a Lia e toda a equipe de voluntários. Deus é muito bom mesmo. Ontem, que foi dia de Nossa Senhora Aparecida, as energias foram renovadas. Foi uma benção”, agradeceu.

Confira na galeria abaixo como estava antes a tal da velha casinha.

No dia de Nsa. Sra. Aparecida, pintura começou de manhazinha e só foi terminar às 19h (Foto: Arquivo Pessoal)
No dia de Nsa. Sra. Aparecida, pintura começou de manhazinha e só foi terminar às 19h (Foto: Arquivo Pessoal)

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário