ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUARTA  01    CAMPO GRANDE 19º

Arquitetura

Contratado só para erguer muro, hoje Sebastião mora na casa que ama

Há 20 anos, ele foi contratado pelos antigos moradores, agora cuida da casa com ar de roça, mas na cidade

Por Jéssica Fernandes | 25/11/2021 08:48
Sebastião embaixo da parreira de pepinos. (Foto: Paulo Francis)
Sebastião embaixo da parreira de pepinos. (Foto: Paulo Francis)

O ar da roça é o que deixa o construtor Sebastião Oliveira Silva, 67 anos, feliz. No Bairro Jardim Paulista, ele encontrou uma casa antiga rodeada de árvores e, onde viu espaço, plantou mais. A história de Sebastião com a residência começou há 20 anos, quando foi chamado para levantar o muro que continua firme até hoje.

Mas a residência é mais antiga que isso. Ele não sabe precisar a data exata, porém relata como retornou ao local para ficar. “Eu mexo com obra, esse muro aqui fiz pra eles, a antiga dona faleceu, depois, eles me chamaram para cuidar da casa”, afirma.

Quando o Lado B chegou, Sebastião ficou um bom tempo falando da vida no portão. Depois de um tempo, ele resolveu tirar a corrente da grade e mostrar o quintal que tem árvores e frutas além da conta.

Construtor mostra laranja colhida no terreno. (Foto: Paulo Francis)
Construtor mostra laranja colhida no terreno. (Foto: Paulo Francis)

Na residência, ele vive há quatro anos e, desde que chegou, fez uma parreira de pepinos que transforma em conserva. “Vermelho assim não serve para a conserva, passou do ponto, vira comida de passarinho”, diz mostrando um mini pepino. O construtor também faz doce de leite, cocada e inventa outras receitas no fogão a lenha posicionado na varanda.

Além dos pepinos, Sebastião tem plantado no quintal jaca, acerola, manga, limão, abacaxi, mandioca, abacate, laranja, limão rosa, cana e banana. “Nós consumimos tudo aqui”, garante. Independente do lugar que vá, ele garante que dá um jeito de cultivar algo na terra. “Eu tenho uma casa no Itatiaia, lá você achava de tudo, laranja, coco, essas coisas. Onde eu ando, sempre tô plantando”, afirma.

Parreira de pepinos feita por Sebastião. (Foto: Paulo Francis)
Parreira de pepinos feita por Sebastião. (Foto: Paulo Francis)

No meio da natureza, ele revela que lembra da infância. “Eu gosto de morar aqui, toda a vida fui criado em roça. Em Dourados, construí o Instituto Agrícola do Menor, lá é roça. Se um dia for visitar, tem meu nome lá como colaborador”, fala.

Na casa da Rua Geraldo Castelo, os dias são sossegados e amenos graças a sombra e frescor que as árvores concedem. Com tanta opção de espaço, o ponto favorito para ficar é debaixo da parreira de pepino. “Aqui é tranquilo”, conclui sorrindo.

Pé de jaca é uma das várias árvores frutíferas da residência. (Foto: Paulo Francis)
Pé de jaca é uma das várias árvores frutíferas da residência. (Foto: Paulo Francis)

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário