ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 29º

Artes

Artistas se unem para minimizar estrago da covid-19 em aldeias

Festival Mba’e Porã conta com artistas regionais e nacionais para arrecadação de recursos aos indígenas Guarani Kaiowá de MS

Por Thailla Torres | 28/07/2020 08:30
Foto de arquivo de guarani kaiowá lavando rosto em aldeia. (Foto: Arquivo/Campo Grande News/Marcos Ermínio)
Foto de arquivo de guarani kaiowá lavando rosto em aldeia. (Foto: Arquivo/Campo Grande News/Marcos Ermínio)

Mba’e Porã, em guarani, significa coisa boa, coisa bonita. Assim, utilizando da etimologia da palavra, nasce o “Festival Mba’e Porã: arte pela proteção dos povos indígenas” que será realizado virtualmente de 7 a 16 de agosto pelas redes sociais. O evento coletivo reúne artistas nacionais e regionais para levantar recursos para a construção de poços artesianos e a compra de equipamentos de proteção individual – EPI para os povos Guarani-Kaiowá de Dourados, a 230 quilômetros de Campo Grande.

“Boa parte dos indígenas tem dificuldade de acesso a água potável, um elemento básico contra a covid-19. Assim, o festival é um gesto bonito como seu nome carrega, mas, também, a junção de arte, solidariedade e reconhecimento dos povos indígenas”, explica Tiago Botelho, advogado e professor da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados)

A ação se fez necessária pela situação complexa dos povos indígenas na região. “A pandemia agravou necessidades, falta alimentação e material de higiene básica, acesso à saúde e a água. Por inúmeros motivos, até mesmo as reservas indígenas já demarcadas na região estão esquecidas pelo Poder Público, sendo urgente e necessário o auxílio das pessoas”, destaca.

A preparação para o festival começou depois do encontro virtual entre o artista sul-mato-grossense Ghva e Tiago.  Ghva queria vender uma de suas obras, intitulada “Reza - Guarani-Kaiowá”, para reunir fundos para as comunidades indígenas afetadas pelo coronavírus e buscava um apoio. Desse encontro surgiu a ideia de convocar, pelas redes sociais, artistas, professores e agentes culturais do Estado para somar forças, o que resultou na mobilização de diversos artistas e na doação de cerca de 40 obras de arte.

Programação - Assim, o festival terá uma exposição on-line para a venda das obras de arte doadas, e uma programação cultural nas redes sociais, diálogos e apresentações nacionais e regionais de artes cênicas e música, com o objetivo de estimular as pessoas a contribuírem com uma campanha de arrecadação virtual.

E você pode ajudar de duas maneiras: uma é adquirindo uma obra de arte na plataforma online que será lançada em breve e também divulgada constantemente durante o festival ou através da arrecadação financeira pela Vakinha on-line, com lançamento programado para o primeiro dia do festival (07/08).

O festival será multicultural, com a participação espontânea de mais de 20 atrações. A programação do evento estará disponível no perfil do Instagram @festivalmbaepora e na página do Facebook e a transmissão das apresentações artísticas ocorrerá, ao vivo, pelo canal no Youtube. Haverá sorteio de obras para quem colaborar com a divulgação virtual e a campanha de arrecadação.

Faça parte - E quem é artista, ativista, professor, agente cultural, comunicador ou produtor de audiovisual e quiser colaborar de alguma forma, pode entrar em contato através do número (67) 98130-0607 ou pelo e-mail: mbaeporaddos@gmail.com

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.