ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  06    CAMPO GRANDE 29º

Artes

Aula de bateria online usa até sofá como instrumento

Casal que dá aula de violão e bateria está se virando como pode para ensinar alunos em meio à quarentena

Por Lucas Mamédio | 05/07/2020 07:50
Sandro dando aula pelo computador (Foto: Arquivo Pessoal)
Sandro dando aula pelo computador (Foto: Arquivo Pessoal)

Desde os 16 anos Sandro Moreno dá aula de bateria. Ele está mais do que acostumado a receber alunos em sua casa ou a ir na casa deles para ensinar a tocar o instrumento de percussão mais conhecido da música.

Parecia nunca haver outra alternativa para ensinar instrumentos musicais, até que veio a pandemia  mostrou que quase tudo é possível nessa vida, inclusive dar aula de música, como é o caso dele.

Sandro é casado com Bianca Bacha, também professora de música, mas ela ensina violão. Os dois estão em quarentena, e por conta do isolamento, estão ensinando seus respectivos instrumentos por meio do Skype ou Google Meet, ferramentas de teleconferência que parece estarem salvando a humanidade.

"No começo houve um processo de adaptação, é lógico. Tínhamos que entender a dinâmica dessa relação a distância, de como seria esse processo pedagógico, didático", enfatizou Bianca.

Mas não houve só a manutenção daqueles que já eram alunos. Houve procura de novas pessoas querendo começar aulas, pessoas que começaram do zero, online, e que nem o instrumento tinham.

Bianca também dá aula pelo computador, mas de violão (Foto: Arquivo Pessoal)
Bianca também dá aula pelo computador, mas de violão (Foto: Arquivo Pessoal)

"As pessoas estão procurando um subterfúgio e nada melhor que arte pra manter a cabeça no lugar. Eu tenho vários alunos que, por exemplo, começaram a fazer aula mesmo sem bateria, improvisando e o ensino exercício de coordenação e percepção pra parte auditiva", explica Sandro

A partir daí, segundo o professor, muitos compram o instrumentos ou continuam usando que  têm em casa. "Tenho muitos alunos que montaram uma bateria improvisada em casa com partes de sofá, pra manter a cabeça ativa em algo que não deixa a pessoa enlouquecer".

Sobre a eficácia, Sandro diz que é a mesna "As aulas via EAD são muito eficientes, estamos tendo muitos resultados, tenho alunos que começaram, como disse, sem saberem nada , que nunca tocaram um instrumento e, agora, já com dois, três meses de aula, estão tocando".

Os salientam que as aulas também se tornaram mais flexíveis, em horários menos rígidos, por isso alguns alunos pretendem até continuar tendo lições dessa forma depois da pandemia. Eles afirmam que essa experiência pela qual estamos passando pode significar uma mudança de paradigma na questão das aulas de música.

"A adaptação também está sendo muito bacana, muitos alunos antigos dizem que vão continuar mesmo após a pandemia por EAD por conta da comodidade, não precisa pegar trânsito, não tem que correr por conta de horário".

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.